segunda-feira, 17 de agosto de 2015

BookLook Bloggers- How High Will You Climb review!

 
SOURCE: GOOGLE
 
 
 
 
In How High Wall You Climb, John talks about a subject that has been ignored for a very long time in society:  one's attitude. In this book you will be challenged to think the way you think and the approach you have towards life. Many people believe that in order to be successful they have to do so much but they forget that a bad attitude is the key that closes many doors! Two things caught my attention in this book: 1) Be always willing to learn. Bad attitude can condition one to think that nothing can be done, nothing can change, nothing can be solved. A person with a good attitude always looks for reason to increase in knowledge about what they don’t know, about what it is different. As a business owner, this book has showed me one’s income can only grow as one’s attitude changes. 2) Select the people you spend time with. Sometimes it is so tempting to spend time with everybody even more when you are a people person, but since time is a valuable asset, John suggests to keep in touch with people you can grow with the most and let them to keep you posted about what your other friends are doing. You don’t need to spread yourself thin in order to have meaningful relationships. 
 
Pro about the book: each chapter comes with a questionnaire that challenges you to think outside the box and think in a positive manner. Through this questionnaire, the reader realizes she/he has more control over things that she/he could have ever imagined!
If  you are a business owner, entrepreneur, self employed or occupy a leadership position in  a church or non profit organization, this is a must read.

 I received this book free from the publisher through the BookLook Bloggers book review bloggers program. I was not required to write a positive review. The opinions I have expressed are my own. I am disclosing this in accordance with the Federal Trade Commission’s 16 CFR, Part 255. : Guides Concerning The Use of Endorsements and Testimonials in Advertising.
 

domingo, 16 de agosto de 2015

A HISTÓRIA DA MINHA EM FASCÍCULOS # 3


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Castelos de areia são.... de areia








Trilha sonora de hoje: I don't trust myself with you ( Edward Shearmur)
Uma das faixas do filme Cruel Intentions( Segundas Intenções)












"O anel que tu me deste era vidro e se quebrou.
O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou."
( Ciranda Cirandinha)




Anda rolando uns boatos por aí que Gisele Bundchen e Tom Brady estão para se separar, mas como sabemos, boatos são boatos. Caso isso seja verdade lógico que é muito triste ver um fim de um casamento. Divórcio é algo que eu não desejo pra ninguém porém fiquei impressionada com a reação do público brasileiro em relação ao tablóide. As revistas de fofoca afirmam que o pivô da separação foi a babá que andou simpatizando com o atleta além de Ben Affleck. 

Foi engraçado e triste ver comentários do gênero: 

Gente pelo amor, quem trai a Gisele

Se a Gisele e o Tom se separaram de verdade eu não acredito mais no amor, deu pra mim!
Me preocupando até 2040 e deeeezzzzz!!!!!






Deve ser difícil vc se divorcia da Gisele, acorda e não tem mais a Gisele na cama.

Outros falaram comentários do gênero: como tem gente que ama ver a desgraça dos outros!!!!

O que eu vejo em tudo isso é que nós vivemos em uma sociedade que acredita que beleza e dinheiro são os pilares de um casamento bem- sucedido. Parece que se a pessoa tem bunda de tijolo, é famosa e rica, o divórcio( ou separação) não tem o direito de bater na porta da casa dela. Porque ela merece tudo de bom e do melhor, mas uma pessoa comum é passiva de traição e deve encarar com naturalidade.

Porque nós encaramos com naturalidade e até fazemos piadas sobre traição.É algo tão bobo, até que aconteça conosco. Algumas das reações:

- mas também, fazer o quê? Ela casou com um homem muito bonito. Ele é muito bonito pra ela. Ela que tome cuidado porque as mulheres estão com tudo.

A mulher trabalha, tem uma jornada fora de casa e dentro de casa, incluindo filhos, mas a martirizamos se o corpo dela não for perfeito e ela não tiver com vontade para intimidade, mesmo que o marido dela, que está sempre pronto, não a ajuda a dividir as tarefas de casa e nem ajuda na criação dos filhos. Se a traição ocorre, a culpa é dela.

Feio pra gente que acha que é legal a mulher que explora o marido, coloca pressão em cima dele para viver trabalhando para que ela possa gastar com tudo do mais caro.

Feio pra gente que acha que traição é algo que é para ser esperado caso você não seja uma celebridade. Feio pra gente de achar que a nossa história de amor só pode dar certo se "os deuses do Olimpo" foram felizes também. Feio pra gente de querer achar que coisas secundárias seguram um casamento e não o caráter, o diálogo(aberto e maduro), o respeito ao e o bem querer.

Giphy.com
Que vergonha da gente! Que vergonha achar que trair é opção válida porque o outro não me completou quando eu deveria tomar vergonha na cara e não ter transferido essa responsabilidade para ele. Porque a minha felicidade é minha.O que o outro dá é extra. Porque eu já era eu antes do outro existir. Eu já era feliz antes do outro chegar. As pessoas traem porque acreditam que o outro é o responsável por todas carências e mazelas que eles nunca decidiram curar em suas próprias vidas.

De que é feito um relacionamento sólido? Confira no texto abaixo. Tradução em português segue. 




"Muitas pessoas se casam acreditando no mito que o casamento é uma lindo presente, cheio das coisas pelas quais eles ansiaram: companheirismo, intimidade, amizade, etc. A verdade é o casamento começa com presente vazio. Você precisa investir algo antes de sacar. Não existe amor no casamento. O amor está nas pessoas. Elas é que colocam ele no casamento. Não existe romance no casamento.Você precisa injetá-lo no seu casamento. Um casal precisa aprender a arte e desenvolver o hábito de dar,amar, servir, elogiar para que o presente permaneça cheio. Se você tira mais do que coloca, seu presente ficará vazio."


Qual a sua opinião sobre a vida das celebridades e os meios de comunicação ditarem valores no relacionamentos? Você os abraçaria? Você acha que eles são realistas? Comente!

terça-feira, 11 de agosto de 2015

[ 123 coisas do meu jeito] # 2- Marcou minha infância




Desenho animado A NOSSA TURMA







Aulas de natação

FONTE: GOOGLE





Ter um cachorro
Add caption




Pular elástico

fonte : GOOGLE






Os Paralamas do Sucesso



 










E você, conta um pouco da sua infância pra gente nos comentários!!!!

 

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Dos { MOLDES E LACRES } impostos

HOJE TEM TRILHA SONORA PRA DEIXAR O POST MAIS ESPECIAL.

SOLTA O SOM !!!



FONTE/SOURCE: WEHEARTIT


Não tive sossego enquanto não vim aqui escrever sobre isso. Bom, é o seguinte, tenho visto muita gente invadindo espaço alheio, ditando o que os outros querem fazer mas ninguém trabalhando para pagar as contas de água, luz, telefone, casa ou aluguel. Isso não se trata apenas entre família e amigos não. Tá geral!!! E ai de você se tentar se impor pela sua própria vida. Leva bronca, camarada!!!! 

E isso vai de todos os segmentos. Seja na religião, na política, no trabalho, na família. 

Já conheci muita gente boa e  ruim em vários setores. 

Evangélico show de bola. Evangélico xarope.

Ateu um amor de pessoa. Ateu que só quer ver o ôco. 

Homem trabalhador, ocupado e cordial. Homem desocupado que vive coçando os zovo e quer tudo na mão. 

Mulher que vive de fofoca e de assistir novela. Mulher que vive para completar seus afazeres e viver sua vida.

O negócio é: pessoas serão pessoas qualquer seja a filosofia de vida que abracem. O problema que eu tenho é quando as pessoas entram na vida dos outros desconsiderando que do outro lado há pessoas de carne e osso, pé  e pescoço também.


Tantos lacres e moldes sendo colocados na vida alheia, mas conteúdo de qualidade que é bom? Nada! Vou tratar de alguns exemplos que eu vi e vivi nesses últimos meses. Vou começar com a história do meu amigo que deixou a igreja e já não aguentava mais viver em tormenta interna. Ele já lidava algum tempo com questões sobre a sua sexualidade e sobre o fato de ter atração por homens. Por muito tempo foi da igreja e fez coisa da igreja porque ele tinha respeito pelas pessoas, carinho e as viam numa posição de autoridade, mas tem uma hora que ele cansou. Não o culpo, qualquer um cansa. Ele decidiu explorar a opção. Muita gente "queimou ele em praça pública". Há pouco tempo voltamos a nos falar por whatsapp. Ele relatou o acontecido e pediu perdão pelo ocorrido. 
Eu disse: perdão pelo quê? A vida é sua. As escolhas são suas.O que você optou por fazer não muda a nossa amizade. Eu não preciso que você goste de mulher para ser meu amigo da mesma maneira que eu não preciso gostar de mulher pra ser sua amiga.Se um dia você voltar, tem que ser por você. A decisão ter quem ser totalmente e unicamente sua. E se não voltar também, a decisão tem quer sua. Porque a vida é sua. Porque a única que pessoa que sabe o céu e inferno de viver dentro de si é a pessoa que vive no corpo e mais ninguém.Nós éramos amigos antes dessa decisão.Não sei porque alguma coisa tem que mudar agora.Afinal nós nunca nos ofendemos, nos desrespeitamos. 

Ele ficou assustado porém aliviado e confessou que esperava mais uma pedrada. E muita gente vive assim em outros departamentos da vida também. 

Eles viviam um casamento só de fachada. Já tinham tentado de tudo e nada. Ele era bem mais velho que ela. Ele queria apenas uma mulher bonita que cuidasse dele. Ele não queria fazer nada com ela. Não queria mais sair. Sempre inventava desculpas para ficar em casa assistindo televisão. Ele não tinha descrição nas coisas e contava a vida dele para todo mundo. Ele até já chegou a dizer que ela tinha sido abusada pelo pai. Falava isso sem levar em consideração como ela iria se sentir. Quando eles eram íntimos, falava pra todo mundo tb. Isso foi cansando ela , além do fato dele ser muito paquerador com outras mulheres na frente dela. Ela passou a ter crises seríssimas de depressão. Foi pedir ajuda e as pessoas que se diziam amigas a afundaram mais ainda. Ele só contava a versão dele, fazendo assim a caveira dela. Ele muito influenciado pela família, mesmo sendo uma pessoa que tem idade para ser meu avô, faz uma coisa de criança para chamar atenção dela e fala em divórcio para ver a reação dela. Ela leva ele à ferro e a fogo no que ele disse. Ele começa a ver outras mulheres antes mesmo de se separar. Ela faz tudo pra ter paz. Depois dele ter saído de casa ele continua fazendo a caveira dela. Ela encontra uma pessoa bacana antes de se separar. Ela diz que sabe que não é certo mas não vê o problema já que ele estava vivendo como um solteiro. Ele fica com ódio, faz a caveira dela ainda mais e disse que ela chutou ele porque ele era velho e colocou um homem novo dentro de casa. Eu sei a verdade. O divórcio sai. Ela vem para mim e diz que hoje sabe que sempre eu fui uma amiga de verdade e nunca a julguei.

 Eu disse: eu não sei o que é morar com um homem que diz a nossa vida para todo mundo, muito menos um homem que faz a minha caveira. Não tenho o direito de lhe dizer como conduzir sua vida. Só sabe quem passa. 

Como ela morava numa cidade pequena a notícia se espalhou rápido. Não demorou muito para certas pessoas virem e contar o acontecido com versões super modificadas e pioradas. Quando chegava em mim, eu dizia: você já foi casada com o marido dela quantas vezes? Ah não foi? Então não sabe como era viver com ele, né? Então eu acho que o assunto morre aqui, não é mesmo?

Hoje ela está feliz e em paz no seu novo relacionamento. Ele faz tudo por ela. Louco por ela! Um verdadeiro Pepê Le Pew. 


Ela sempre foi uma mulher de muita fé e uma pessoa muito íntegra. Encontrou uma oportunidade na vida profissional e agarrou com unhas e dentes. Dois anos depois cresceu na empresa e a sua fé começou a impactar a muitos. Começou a ganhar muito dinheiro, a fazer viagens para lugares paradisíacos, porém perdeu muitos amigos porque eles não se conformavam com o sucesso dela só por ela ser evangélica. Parece que você não pode ser evangélico, ser bem sucedido e honesto. Como se de coisa que todo rico fosse malandro e todo pobre fosse honesto. Muitos começaram a fazer piadinhas e soltar boatos de que ela tinha virado o cartão postal da teologia da prosperidade, porém o que a fez próspera além da fé em Deus foram as noites mal dormidas, os trabalhos no final de semana enquanto muitos dos seus amigos estavam assistindo Netflix o dia inteiro no sábado. É quando ela estava lendo livros de auto aperfeiçoamento, indo para workshops enquanto os outros passavam horas no facebook atualizados de toda besteira que caía na rede, mas isso ninguém vê. 


Outra foi ver uma moça linda no youtube que levou muita bala por ser gordinha então ela fez um vídeo com as razões pelas quais gordinhas não deveriam usar biquínis segundo os comentários que ela recebeu.


Depois dos 30 eu aprendi algo muito importante: as pessoas vão fazer o que querem e ninguém vai impedí-las de fazê-lo.Ninguém muda ninguém e quando quer, ninguém precisa falar nada. A pessoa vai lá  por si só e faz o que tem que ser feito. 

 Muitas vezes as pessoas não estão pedindo a nossa aprovação,apenas respeito. E respeitar a decisão alheia é um ato de amor, talvez maior que um próprio eu te amo saindo da boca. Até porque naquele dia diante de Deus eu vou ser cobrada pelo que eu fiz e não o que o outro fez. Conselho eu dou agora só quando alguém me pede. Se pede é porque quer mudar, quer crescer, quer se melhorar. Se não pede é porque não precisa e estar feliz.




Escrevi esse post para que tomemos  mais consciência do que sai da nossa boca porque no final do dia a despeito de tudo, todo mundo tem um coração, tem uma alma e tem sentimento também.

Pare de querer que uma galinha seja águia. 

Para de querer que uma águia seja galinha. 

Há muitas coisas dentro de nós que são muito galinha. Outras estão gritando para serem águia. Faça as mudanças que cabem a você serem feitas CASO ASSIM QUEIRA. Se não, fique onde está.

No mais, respeito acima de tudo. Primeiro consigo, depois com o outro. 

É isso.  

sábado, 8 de agosto de 2015

{123 coisas....do meu jeito!} #1 - MEUS COMERCIAIS FAVORITOS

Oie gente, 

Hoje eu começo a série 123 coisas do meu jeito. Essas postagens consistem em compartilhar aleatoriamente sobre o que acontece no meu mundo. O post fica aberto para quem quiser fazer. Você pode usar o meu roteiro ou pode fazer o seu roteiro e intercalar com o meu se quiser. 

E por falar em comerciais. Comerciais são interessantes. Uns nos marcam pela mensagem, outros por serem engraçados, outros pelo jingle. Confira abaixo os seus comerciais favoritos. 



Batalha dos sexos com a Motorola







Romance com um pouco de intrigas a La Hugo Boss









Purina, Dear Kitten: sobre o cachorro( em inglês)







Mercado Livre: Fofura na entrega






Coca- Cola: Choose happiness( em inglês)





E vocês? Quais são seus comerciais favoritos? 

Grande abraço!

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

A HISTÓRIA DA MINHA VIDA EM FASCÍCULOS #2




#seame
 #sevalorize
 #quero100%
 #tudoounada


segunda-feira, 27 de julho de 2015

Confissões de um HELLACIONAMENTO.










FONTE:GOOGLE



Esse tal de amor. Ou essa coisa que tentamos chamar de amor. Mas será que é realmente amor? Bom, pra Emma (Anne Hathaway) é. Ela conheceu Dexter(Jim Sturgess) na faculdade. Eles nunca conversaram muito mas no dia da colação de grau, depois de algumas bebidas eles quase transaram. Ela achou demais, pois era afim dele. Ele? Viu todo como uma diversão. 

Um Dia conta como a vida dos dois se desenvolve por 20 anos. Dexter é bem irresponsável, mas se dá bem na vida por ser simpático e desenrolado. Emma se muda pra Londres mas tem problemas com adaptações.O trabalho não traz satisfação e ela vê a sua vida como sem graça, embora esteja escrevendo um livro. Ela é insegura, frustrada, mas não toma nenhuma decisão pra melhorar de vida. Cair nos braços de Dexter parece resolver todas as suas dores e infelicidades com a sua realidade.

 Já Dexter não toma a responsabilidade por nada. Tudo não passa de diversão. Ele não consegue ouvir a verdade e vive encontrando desculpas e justificativas pelo jeito que age. E nessa, ele também vive encontrando maneiras de manter Emma por perto porque ele sabe que pode tirar vantagem. Ela não passa de um estepe de carro para ele.Ele a mantém envolvida, alegando que, embora ela tenha muitas mulheres e até namoradas, com ela é diferente. Ele usa da falsa intimidade para manipulá-la.

FONTE: GOOGLE


E nessa existem muitas pessoas confundindo amor com codependência. Como Emma, elas continuam ignorando todos os sinais de um relacionamento disfuncional. Porque estar com o "piolho" é melhor do que está sozinha(o). Dizer não é muito difícil. Elas acabam assumindo responsabilidades que não são delas, além de salvar pessoas irresponsáveis das suas consequências.Acabam assumindo um relacionamento de pai e filho, só que no caso de Emma, ela é uma "mãe" passiva. Ela fica consolando Dexter ao invés de confrontá-lo. 

A vida deles segue separadamente e Dexter passa a ser mais bem sucedido e mais irresponsável. Mais mulheres, mais drogas, mais bebida, mais farra. Ele sempre tem de Emma o que  quer à medida que a enche com promessas vazias. Um verdadeiro taker.



Emma encontra outra pessoa com a qual decide dar uma chance.  No filme dá a entender que ela dará fim ao piolho com Escabin , que dessa vez ela vai acertar...SQN!!! A visão que ela tem de romance é algo muito distorcido. Algo que Steve Carter e Julia Sokol pontuaram tão bem: 

"Aterrorizante, angustiante, traumático, desconcertante, irreconciliável, horrendo e obsessivo são palavras que podem estar na capa de um romance que você leva para a praia.Uma mulher inteligente não quer que adjetivos como esses sejam utilizados na descrição da sua própria vida."

O outro cara é uma pessoa normal. Faz coisas que um parceiro faria em um relacionamento. Ele comete erros. Ele leva tempo para fazer as coisas que ela pede. Ele é fiel e louco por ela mas isso não é suficiente pra ela porque as palavras que ela mais associa com amor é excitação, aventura,dor, angústia, emoções intensas e palavras bonitas. 

Lá na frente ela decide se afastar de Dexter e acaba se encontrando na vida e se tornando uma pessoa renomada como escritora. Acaba encontrando um homem de calibre similar ao seu. Já Dexter começa a colher os frutos da sua vida inconsequente. Agora divorciado, lascado e sem trabalho, ele vai ao encontro de Emma em Paris. Emma progrediu e ele regrediu. Quando ele toma conhecimento que Emma poderá estar se casando com essa pessoa, ele dá um chilique de criança e diz na cara dela que ele não tem estômago pra conhecer o cara. Ela deixa o noivo para voltar aos braços de Dexter de novo. 

Aqueles sem visão para o seu futuro sempre retornam ao seu passado. Porque é confortável para eles.  

Confesso que quando chegou nessa parte eu parei de assistir o filme. Afinal já tinham passado 20 anos da vida deles mas eles não tinham se desenvolvido como pessoas.Ficou nesse chove e não molha. Você teria 20 anos para desperdiçar em uma pessoa que te trata como brinquedo e chamaria isso de amor? Eu não. 

Amor é quando você ama quem você está se tornando à medida que desenvolve um relacionamento saudável com outra pessoa. É quando você soma na vida dela e ela na sua. É quando você não precisa jogar, manipular, esconder, fingir que não importa, quando importa e dói. É poder ter um diálogo aberto sem atacar, sem ofender, sem denegrir. É chamar a responsabilidade e ser responsável pela parte que te cabe. É não transferir a tua felicidade, a tua cura, a tua mudança para outra pessoa. É promover soluções ao invés de negações. 


O problema com a codependência é que você tenta juntar os cacos do outro, consertar o outro, curar o outro enquanto o "doente" te leva pro buraco junto com ele e destrói tudo aquilo que você levou anos para estabelecer.



Como filme de romance minha nota seria -1, porque pra mim isso não pode ser chamado de romance. Como uma obra para uma análise comportamental no que tange à codependência, nota 10. 

Não recomendo que assista ou não. Fica a seu critério.

Caso você tenha tido um hellacionamento( um inferno de relacionamento) marcado pela codependência, conta pra gente como foi a sua experiência e como você saiu dessa. Vale hellacionamentos no que tange à família e amizades também. 

sábado, 25 de julho de 2015

Frase da semana

FONTE/SOURCE: PINTEREST

segunda-feira, 6 de julho de 2015

|| Da intolerância alheia ||

FONTE|SOURCE : GOOGLE







A cada dia me surpeende a falta de etiqueta e bons costumes nas redes sociais. Virou cool ser mal-educado, arrogante, agressivo, colérico. O negócio é vomitar tudo o que se pensa, na velocidade da luz.  As pessoas estão cada vez mais na ânsia de responder na ponta da língua um comentário atravessado. Comentário esse que vem de um estranho, que não a conhece e não tem nenhuma credibilidade com essa pessoa. Por que elas se comportam de tal forma que jamais fariam em público? Será que as pessoas estão cada vez mais covardes, vazias, carentes, ansiosas e sem falta de domínio próprio? Tenho visto o aumento de gente que solta um reclame do plim-plim em página alheia, mas quando ver a pessoa , se esconde. 

A cada dias estamos mais modernos e mais primatas.

Engraçado, não?

Para pensar: 

-Precisamos entender mais de pessoas do que de tecnologia.-
(Paul Adams)


 

Querido Deus, obg por me exportar! Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger