quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Uma discriminação socialmente aceita

Resolvi falar sobre esse tema porque não apenas passei por isso, mas já vi várias mulheres que enfrentaram a mesma coisa.Era uma vez uma brasileira que tinha se mudado para Jacksonville e estava em busca de novas amizades.

Ela foi à um evento para conhecer pessoas novas.Ela foi convidada por um casal[chamarei-os de Algudim e Algudinha, nome fictícios]que estava envolvido nesse determinado evento.Nesse tempo ela estava 6 quilos acima do peso, ainda lidando com o confinamento do Ajuste de Status, entre o fato de estar procurando uma igreja nova,estar lidando com a carga horária do esposo que trabalhava 70hrs por semana e a recente morte do sogro que se foi após 9 meses que ela tinha chegado no país.Isso mexeu com a auto-estima dela.

 Ela não se arrumou para ir à esse evento até porque era algo bem casual.Simplesmente colocou o que tinha e foi.Nada de cabelo feito, nada de maquiagem, nada de trololó.Foi mais como observadora. Quando chegou ao tal evento[que por sinal era um churrasco], foi apresentada aos donos da casa. O dono foi  simpático. 

Mencionaram que a visita era do Brasil. A dona da casa nem tocou na mão dela quando foi apresentada.Com os braços cruzados estava, com os braços cruzados ficou, mas disse prazer em conhecer(será?).A brasileira ficou sem entender e sentiu muita frieza da parte da anfitriã(?), visto que a mulher era uma morena muito bonita, torneada, alta e com tudo em cima meeesmo.

Sem entender, a brasileira ficou perto da piscina e perto do casal que ela conhecia.Algudinha ficou batendo papo com a convidada até as amigas chegarem. Amigas chegam,tchau convidada! Te vira que tu não é quadrada. Ela ficou só observando aquela situação. Veio outro convidado tb, um homem que não fazia parte daquele grupo, mas que foi incluído em questão de minutos pela a ala masculina.Aos poucos as coisas foram começando a encaixar mas ao mesmo tempo não.Afinal, ela não tinha feito nada, não tinha puxado papo com nenhum homem casado e nem se engraçado com nenhum, estava 6 quilos acima do peso e nem tinha se arrumado. 


Depois de muito tempo, o esposo dela liga e ele pergunta como está o evento. Ela conta pra ele o desabor que estava presenciando.Ela disse que se soubesse onde tinha uma parada de ônibus perto do bairro, ela já tinha ido embora. Bom gente, essa brasileira sou eu. 

[ABRE PARÊNTESE]: 


Antes de eu continuar com o texto, quero dizer que quando eu falo de U.S.A, eu não falo de generalizações mas sim de coisas que acontecem no meu cotidiano.Eu sei que muita gente vem aqui e diz "ah mas isso acontece no Brasil tb!".Bom,já que não moro e nem piso no país há mais de 3 anos, não acho coerente usá-lo como exemplo, já que não sei como as coisas andam por lá.

 Quando falo de U.S.A, não quero dizer que isso só acontece aqui ou que é algo tipicamente americano, mas que uso situações do dia-a-dia porque esta é a cultura e sociedade que estou atualmente inserida

[FECHA PARÊNTESE] 

Quando voltei para casa quis chorar muito.Ser parede, cadeira isso ou aquilo não dava mais para mim. No outro dia fui a um outro evento mais formal e a dona da casa deu hello, sorriu bem grande e tudo, parecia até que gostava de mim.Agiu assim pq estava na frente das amigas aí é feio né, destratar só uma pessoa assim na frente de todo mundo? Os sulistas americanos consideram isso grosseiro(mas fingir é sinônimo de educação).

Agudim liga para o meu esposo.Ele notou o acontecido e perguntou ao Mateus se eu estava bem.Mateus relatou o que eu contei. E Agudim solta essa: 

A: é, mas vc sabe pq ela foi isolada, né?  
M: sei sim.
A[denunciando a discriminação]: Porque ela é bonita! 
M: Não sei pq mulheres americanas agem desse jeito. 

De novo, infelismente estou inserida em uma cultura que acredita que se você é mais bonita do que eu, você precisa ser isolada, "destruída", precisa estar fora do meu círculo de amizades o mais rápido possível,porque só tem lugar pra uma nesse evento/festa/etc e vai ser eu! Beleza aqui é vista como uma ameaça, mesmo que a mulher não faça nada. 

Uma vez uma adolescente gordinha me disse que quando ela chegou num abrigo que cuidava de adolescentes disfuncionais, uma menina bonita e magra disse à ela: Você é bonita. Agora fulano vai parar de olhar pra mim e se interessar por vc. Eu odeio vc! 

Tb já ouvi muito: você é tão pequenininha[tiny] e tão arrumada, pode usar o que quiser.Sempre está tão bem vestida. I hate you! [dizem num tom de brincadeira].

Em uma certa ocasião quando uma certa mulher disse I hate you[eu te odeio!], eu respondi: oh I know you do![Oh Eu sei disso!], ela olhou pra mim com um espanto e  deu uma risada como quem estava nervosa, do tipo, ah ela descobriu que eu a vejo como uma ameaça!


É nessas horas que eu vejo a máscara caindo.

A mulher americana, pintada em filmes, revistas e seriados de TV como alguém tão independente, bem resolvida e  segura de si não bate com as americanas nos lugares onde eu vivi e eventos que presenciei. Eu já vi outras mulheres/meninas serem isoladas por outras mulheres em eventos porque elas eram bonitas. Acredite, não sou nenhuma Gisele Bünchen,outra razão pela qual não entendi a reação daquela moça.Existe um espírito de competição velado entre as mulheres por aqui.Não é só no quesito beleza não, é em outras coisas tb que chega até ser ridículo.Em uma certa igreja em que fui membro as mulheres de minha idade não podiam fazer nada na cozinha a menos que as senhoras estivessem por lá monitorando, pq elas se achavam donas da cozinha! 


Eu achava que era porque eu era estrangeira, mas acredite, nem minha sogra escapou! Quando perdeu peso, ficou tão saudável, cheia de vida e arranjou um novo amor, foi taxada pelas amigas como seca, anoxérica e musculosa pq ela já não mais se atolava em junk food e nem vivia choramingando sobre a vida como as amigas faziam.

É nessas horas que a gente ver que peso ideal na balança e corpo malhado não são sinônimos de auto-estima embora muitas academias usam do artifício de que a sua auto-estima vai voltar se você atingir seu peso ideal. Por favor, não acredite nessa mentira. 


Auto-estima tem a ver com o que vem de dentro.Não estou advogando que a pessoa deve comer o que quiser, deve ser sedentária e ser descuidada, mas digo que a beleza de outrem jamais deve incomodar a sua.Cada um ter seu próprio brilho. Como essa foto diz: o melhor acessório que uma garota pode usar é a boa auto-estima[confiança em si].

 




Louvar e apreciar a beleza de outrem não é fraqueza, é virtude, and that's hot! Dê fim a esse tipo de discriminação.


Minha pergunta para você é : 
     Você já sofreu discriminação no Brasil ou no exterior por ser bonita?

28 comentários:

  1. Respondendo à sua pergunta, eu não iria tão longe, mas conhecendo um pouco a natureza feminina eu diria que infelizmente é um comportamento tipicamente feminino!!! Já trabalhei em hospitais e escolas (no Brasil) em ambiente MUITO feminino, e o que mais existem são fofoquinhas e isolamentos desse tipo!!! Bastava uma mulher se destacar e ser cotada para um cargo de chefia, vinha o boicote das outras, ninguém queria uma mulher como chefe! preferiam se submeter a um homem (e isso que eu trabalhava com os grupos de funcionários!). Uma vez foi o caso de uma funcionária que tinha entrado na casa dos 40, solteira, que era muito querida de todas há anos... Mas os problemas começaram quando ela enfim encontrou o homem da sua vida, que além de ser uns 5 anos mais jovem do que ela, era do tipo bonitão!!! O boicote começou com as "mlhores amigas" que se recusaram a ir ao casamento, e desde então, ninguém mais dirigia a palavra a ela. A felicidade dela feria as outras. A estratégia que encontramos na época era que se ela queria preservar o contato com as colegas, seria melhor "mostrar menos" a sua felicidade!!!
    Se "ser bonita" afasta, eu acrescentaria que "ser feliz" afasta tanto quanto...

    ResponderExcluir
  2. Awww Gi!!! Realmente chega da vontade de chorar, mas no meu caso chorar de raiva desse povo besta haha. Jah vi muito isso tb. Tenho umas amigas que sao lindas e andaram comentando mesmo que sao alvos de fofoca, comentarios maldosos, discriminacao, pelo proprio povo no trabalho delas, povo no facebook delas... Realmente isso eh inveja. E infelizmente tem em todos os lugares. Eu nao sei receber elogios, fico completamente desconcertada (nem sei se escrevi direito) mas eu gosto quando a pessoa que elogio o fez com honestidade, com admiracao e nao inveja e falsidade. Eu jah aprendi a reconhecer. Acho que com o tempo acabamos nos tornando mais fortes com relacao a esse tipo de behavior de certas pessoas. E voce eh linda mesmo, tem mais eh que esfregar na cara hahaahahahaha. Se fosse eu numa festa dessas e a mulherada tivesse me excluido, eu iria era pro grupo dos homens, ai que ia deixa-las mais arretadas ainda hahahahahahahahahahah

    ResponderExcluir
  3. Quem me dera ter sofrido por ser bonita. Haha.

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca presenciei nada disso aqui, mesmo porque nao conheco praticamente ninguem. Mas esse comportamento e tipico de mulher, ve alguem mais bonita, mais bem sucedida, ou ate mesmo feliz, se incomoda e ve como uma inimiga que tem que ser destruida. Eu ja presenciei muito isso quando tava no brasil, e terrivel. E como a imagem que voce colocou, e eu concordo e apoio plenamente, auto-estima e estar de bem com si mesmo, mas de bem de verdade, comprometido a ser feliz, e o melhor jeito de brilhar e ser diferente. Acho que idiota sao essas mulheres que em vez de gastarem tempo e energia em melhorar a si mesmo e sua vida, tao fazendo em prol de prejudicar alguem que nao fez absolutamente nada.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Oi Gisley, sempre leio o seu blog mas nunca deixei um comentario. Esse assunto me chamou muito a atencao porque passei por isso quando cheguei na empresa aqui e passo por isso com as minhas cunhadas me medindo de cima pra baixo sempre que nos encontramos. Parece uma disputa que nao tem fim. Nao que eu dispute alguma coisa, eu nao to nem ai. finjo que nao vejo. Deixo la falando sozinha porque nao tenho paciencia para tanta falsidade. No Brasil nunca me senti como me sinto aqui com mulheres por perto, e terrivel. Mas ate cair a ficha demorou, eu achava que era qualquer outra coisa menos por inveja. E olha que nao sou bonitona nao...sinceramente nao sei o que se passa na cabeca da mulherada daqui. Haja paciencia...

    ResponderExcluir
  6. Não é discriminação não Gi, é inveja mesmo, essas mulheres mal-amadas são um saco :[ e concordo contigo, não adianta ser bonita por fora se por dentro é um ogro.
    Saiam pra lá saravás!

    ResponderExcluir
  7. Chocada! Estou de mala e cuia para UK e confesso que em meu espírito eu já estou preparada para algo do tipo, é a tal da xenofobia. Isto ocorre entre racionais e irracionas.

    Leia o pequeno texto extraido do livro Comer, Rezar e Amar - Elizabeh Gilberth

    [...] O problema é que você precisa tomar muito cuidado ao introduzir uma nova galinha no galinheiro. Não pode simplesmente jogá-la lá dentro com as galinhas mais velhas, ou estas a verão como uma invasora. O que você precisa fazer, isso sim, é colocar a nova ave dentro do galinheiro no meio da noite, enquanto as outras estiverem dormindo. Ponha-a em um poleiro ao lado das outras e saia de fininho. Pela manhã, quando as galinhas acordam, elas não reparam na recém-chegada e pensam apenas: "Ela já devia estar aqui, já que não a vi chegar." O melhor é que, ao acordar com as novas companheiras, a própria recém-chegada sequer se lembra de que é uma recém-chegada e pensa apenas: "Eu já devia estar aqui antes…"

    Beijinhos,

    KB

    ResponderExcluir
  8. eu devo ser uma feiosa...ninguem me discrimina!

    ResponderExcluir
  9. Não seria uma descriminação, mas um chega para lá...aqui onde moro, o pessoal ainda fala o dialeto alemão...então na Igreja da minha comunidade, temos grupos de casais e eu e meu marido éramos coordenadores, e eu a única que não falava o dialeto.Era muito chato, se eles contavam uma piada qualquer, eu ficava de canto, todos rindo e depois traduziam è diziam "ahhhhh em português não tem graça..."Até que um dia me cansei e proibi de falar , se não coordenaria mais...só poderiam falar quando eu não tivesse perto.demorou, mas consegui...Diria que era falata de educação mesmo...
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  10. Gostei dess post Gy é isso ai, mas são pessaos sem bom sensor de humor, vamos orar por isso. bjs

    ResponderExcluir
  11. Gisley, que situacão chata essa, neh?! ...
    Já vi muito isso acontecer, e já me aconteceu várias vezes no Brasil ... aqui, eu tenho uma situacão parecida com um "familiar" ...
    É muito chato mesmo!

    Mas não liga pra elas não, elas são pessoas vazias ;)
    Beijão!!

    ResponderExcluir
  12. Menina, eu vivi exatamente essa história (só que engordei mais, meu marido é brasileiro e trabalha ainda mais horas, pense aí?). Na época, tive a sorte de meu marido estar jantando bem pertinho do evento, liguei para ele e ele veio me buscar. Me senti tão de lado, foi péssimo.

    Uma coisa que notei com as americanas aqui é que elas ficam nas suas panelinhas e acabam excluindo quem chega novo, independente de ser estrangeiro ou não. Isso eu nunca fazia no Brasil, quando chegava alguém novo no grupo, ele sempre virava o centro das atenções. Sofro ainda com isso, mas aprendi a ter um plano B nessas ocasiões. Quando sou convidada, sempre digo que vou, mas que terei outro compromisso em seguida, casoa coisa fique boa, eu vou ficando, caso contrário, eu vou (sei que é feio mentir e tal, mas foi a forma que eu encontrei de participar, mas também de me proteger).

    Outro ponto importante é a fantasia sobre a mulher brasileira, pelo menos aqui a galera fantasia bastante uma mulher perfeita e tal. Eu devo admitir que não sou nenhuma princesa, mas volta e meia sou abordada por homens (seja na biblioteca, mercado, no trabalho). Olha só, homens que nunca vi na vida! E estou beeeem acima do peso! Eu acho que isso se dá primeiro porque sou diferente das pessoas daqui e segundo pela simpatia. Meu marido diz que eu ando rindo pela rua. O bom é que quando sou abordada, digo que sou casada e os homens são super educados, pedem desculpa e dizem que meu marido é um homem de sorte :).

    ResponderExcluir
  13. Putz Gi!!! Nem conheço a Milena que comentou acima, mas achei o comentário dela simplesmente PERFEITO! É mais ou menos isso mesmo.
    VC comentou q um cara foi incluido rapidinho no grupo dos homens, infelizmente com mulheres o negócio n é bem assim.
    Felicidade, beleza podem atrapalhar, mas só atrapalha mesmo qnd a gente n tá bem.
    Quem está de bem com a vida nem nota essas coisas, pode ter certeza. O negócio é cabeça erguida e autoestima.

    Aposto q se isso acontecer com vc agora, essa seria a sua reação!
    Bjo!!!

    ResponderExcluir
  14. Gisley, nao a questao de dizer: te odeio ou tratar mal nao e da cultura do brasileiro, nao descaradamente, mas como voltei ao Brasil depois de 18 meses e muitoooooo mais gorda, eu ouvi muita coisa, uma vizinha teve a pachorra de vir a minha casa ver meu album de fotos, viu fotos do meu marido (ele estava para chegar ao Brasil) e disse: mas um rapaz tao bonito, vc nao tem medo que ele se interesse por outra moca mais bonita, mais magrinha aqui no Brasil nao? Eu fiquei passada.

    Aqui na Holanda o povo tenta ser saudavel, se cuida, mas acredito que eh mais aceitavel estar acimado peso e nao existe tanto ditadura de estar bem vestido ou com uma aparencia impecavel, o que abre a porta tambem para que nos descuidemos um pouco.

    Eu vejo em filmes, seriados americanos aquela coisa da High School, Gossip Girl... voce sabe, aquela coisa de tratar a outra mal porque eh bonita, ou porque chama atencao por ser carismatica, eh uma coisa que eu nao entendo mesmo. Muito chato vc ter passado por isso, mas enfim isso ajuda a descobrir as pessoas com quem voce nao quer participar de evento nenhum.

    beijao

    ResponderExcluir
  15. Oi Gigi,
    Que interessante o seu post, eu não tinha idéia deste tipo de discriminação, muito embora I could really see American girls saying I hate you just because you look kinda good.
    Isso pra mim soa como falta de auto estima, quem se conhece confia no próprio taco, mesmo que a confiança não esteja somente ancorada na beleza. Mas no papo, no humor, na inteligência. E você tem tudo isso, pretty tiny!
    Nunca sofri preconceito por ser bonita (putz, que modéstia). Porque no fundo acho que minha maior beleza é a luz que eu carrego, e não meus atributos físicos.
    Escrevi um texto lindo sobre essa luz e os desejos... se tiver tempo dá uma passadinha lá no bloguito Linda!
    Beijos e keep on shining!
    Márcia

    ResponderExcluir
  16. O que dizer! Não me lembro nenhuma situação específica de ser excluída, mas também vou dizer, prefiro mil vezes fazer amizade com homens! Não que não tenha amigas, e tenho muito boas amigas, mas quando se trata de ambiente de trabalho, de um grupo indo viajar, sei lá, prefiro que pelo menos metade (para mais) sejam homens. Parece que há menos julgamento, mais leveza, menos preocupação e mais diversão. Em ambiente de trabalho mesmo, muito menos picuínhas. Já namorei com um rapaz que tinha 3 irmãs, todas casadas, e sempre me sentia como que tinha que ficar confinada à "ala das mulherzinhas" e era sempre meio que tratada como uma intrusa, claro que por trás dos sorrisos da máscara (isso no Brasil e todo mundo brasileiro, para deixar claro). Curiosamente, depois namorei um rapaz que tinha 3 irmãos homens, também todos casados, claro que isso tem muito a ver com cada família, mas mesmo estando incluída no círculo das "concunhadas" (também todo mundo brasileiro), fui muito bem tratada junto aos homens também. Claro, a gente tende a generalizar a partir de situações pelas quais passou, mas o que venho a dizer é que entre mulheres parece que sempre há competição e a "novata" é uma ameaça, uma intrusa.

    ResponderExcluir
  17. Oh well...
    Com a minha pessoa sempre rola aqueles 5 minutos de interesse: "nossa, você é brasileira? tão branquinha e com sobrenome alemão?" -> aí eu explico que há 200 anos um bando de alemão deixou a alemanha de navio para povoar o mundo e um navio atracou no sul da américa. Tcharam, cá estou eu.

    Acabou a explicação, dizem "que interessante!" dão meia volta e cabou-se o papo.

    Vou inventar uma estória mais bacana próxima vez hahaha

    Eu já senti isolada principalmente por alguns brasileiros, que moram aqui há mais tempo e acham que 'caloura' não tem vêz, tem que viver tudo o que viveram, tem que ter fluência e entender o cotidiano alemão para fazer parte do grupo.

    Então tá né.

    ResponderExcluir
  18. Gi,como sempre,achei sua postagem muito interessante.Com certeza isto acontece aqui no Brasil também,não só no quesito beleza ,mas em qualquer área em que alguém se destaque.Eu particularmente detesto;me sinto mal,mas costumo deixar que todas as coisas se resolvam por si mesmo,não entro no jogo do 'quem pode mais',acho ridículo.Me apego sempre aquele versículo-frase de Davi -que diz''Nisto sei que Deus é comigo:meus inimigos nunca prevalecem contra mim.''
    Um grande abraço,até logo.

    ResponderExcluir
  19. Gi, muito interessante isso. Eu não lembro de ter passado por isso aqui no Brasil, nunca, e ainda não tive a oportunidade de passar por isso fora, pois meu love não anda participando tanto de eventos sociais de igreja, ou seja lá do que for, o que combina totalmente comigo. Prefiro ficar bem longe de gente desse tipo, sabe?! Depois, se tu quiser, te mando um saquinho de farinha chia, vc quer? Manda teu address que eu mando, tá?! Viajo hoje de novo pra Inglaterra, vou fazer minha prova de Inglês lá! Peço que ore pela minha viagem e prova, que Deus abençoe e corra tudo bem! Te amo, amiga! Bjão... ♥

    ResponderExcluir
  20. Gi, voce e seus posts interessantissimos, ADORO!!!!

    Estou a 6 meses aqui, por parte das americanas ainda nao sofri preconceito. Sofro preconceitos pelas latinas, acredita? Nao pelas brasileiras, mas pelas argentinas, comlombianas, venezuelanas e cia.
    O preconceito que sinto eh porque eu tenho namorado americano e nao me junto com elas pra beber ou fofocar sobre a vida dos outros, acredita?
    Elas acham que por eu estar aqui pra estudar musica e ingles, eu nao deveria ter vida social...
    Eu cumpro com minhas obrigacoes muito bem e obrigada, nao vou deixar de ter meu tempo de lazer por que tenho que estudar, nao sou obrigada a estudar 24hs por dia.
    Sua felicidade incomoda muito aos outros.

    ResponderExcluir
  21. Gisley, achei esse post muito pertinente. Aqui também as mulheres se cuidam, mas mais pela questão de ser saudável, mas claro há competições também em outro nível.
    Tem o fato que foi citado acima, o de ser brasileira! Tem muita imaginação neste sentido, só este fato já faz muitas mulheres se sentirem "incomodadas". O estereótipo que foi vendido da mulher brasileira mundo afora ainda dá margem a muita interpretação no inconsciente coletivo...rs...

    ResponderExcluir
  22. Puxa vida Gi! Que loucura isso. Parece até aqueles filmes High School, mas ao inverso. Muito louco... Nunca imaginaria, por isso gosto de ler seus comentários sobre o que vc vivencia aí com os fluorescentes. E é muito legal pra outras pessoas (mais especificamente mulheres) que pensam em ir praí que já vão com cabeça leve, sabendo q o problema não é com elas e que certamente não vão mudar a mentalidade deles. Se não se encaixar num grupo, don't worry, be happy, kkk; bjocas!!

    ResponderExcluir
  23. BAixinha, mas tu no tens papas quentes na lingua e respondes à letra a essas cambadas de invejosas que infelizmente há muito espalhados no mundo, mas estao mais concentradas na America hihihihi
    deixa pra lá minha baixinha eu socorro você e ponho-as KO
    kis :=)

    ResponderExcluir
  24. Gi, interessante o seu post (aliás, como sempre)...eu acho isso bastante estranho. Não sei pq existe essa tal de competição por ser mais ou menos bonita...não tenho paciência pra isso, afinal, beleza é algo tão relativo, né??? me parece, que a humanidade está cada vez mais centrada no "parecer", ao invés do "ser"...não podemos cair em determinadas armadilhas (tipo, vou ser feliz se tiver roupa de marca ou se for malhada...)isso é falso e cria apenas pessoas superficiais, como a Algudinha...excelente post, margem à muita reflexão...(eu te acho linda e não te odeio..hahahaha...gosto de vc ♥) beijos

    ResponderExcluir
  25. Adorei seu post e tambem ja vivi situacao parecida aqui nos EUA e ja vi tambem outras mulheres na mesma situacao. Infelizmente isso existe aqui e muito mais forte que no Brasil. No Brasil a competicao feminina e a inveja da mulherada esta mais ligada as roupas de marcas e bolsas caras, mas como aqui qualquer uma pode comprar tudo que seja de grife, mesmo porque aqui as grifes sao todas baratas e acessiveis, a competicao e a inveja se resume mais ao peso (e elas as americanas sempre perdem, ja que a grande maioria eh muito gordinha ou gordona). Eu tambem sofro da inveja das americanas porque sou chef de cozinha e sei fazer comidas saudaveis (e eu nao sou gorda)e como vc bem sabe, encontrar uma mulher americana que sabe fritar um simples ovo eh igual encontrar agulha no palheiro. Imagina a inveja..!
    Te acho linda e I don't hate you.! Beijos..!

    ResponderExcluir
  26. Na minha opinião, tbm vejo isso como um comportamento feminino, embora acredito que quando somos expatriadas ficamos realmente mais sujeitas a certas pessoas que tem 'medo do desconhecido'. Aqui na França eu ja me senti excluida em eventos como vc. Mas nunca achei que fosse por ser bonita, ate pq eu tenho tendencia a ter uma auto estima baixa. Mas ha algum tempo conheci uma 'amiga' por aqui e pela primeira vez me senti 'invejada' (se é que essa pode ser a palavra ) na minha vida. Eu não gosto desse sentimento e tento me afastar dessa situação. Apos tres anos sem vida social ainda prefiro ficar sozinha do que mal acompanhada.
    Bjaum pra vc.

    ResponderExcluir
  27. No Brasil já senti um pouco sim, mas quando sentia isso eu me afastava, sempre quis ter a amizade apenas das pessoas com quem tinha afinidade e em cuja companhia eu me sentia bem. Aqui na Suécia não tenho amizade com suecos, acho que as suecas olham as estrangeiras de uma maneira meio esnobe, mas sinceramente não ligo e nem quero amizades superficiais. Geralmente estrangeiro faz amizade com estrangeiro aqui. Bjos

    ResponderExcluir

Exporte pensamentos e idéias vc tb!
Aqui, elas chegam rápido e vc não paga nada :)!
Divirta-se e volte sempre :)!

Por favor, deixe e-mail e nome de contato caso não tenha blog ou conta do google.

AVISO: Caso não goste ou não se indentifique com o material aqui exposto, vc tem todo o direito de ir ao topo da página do lado direito e apertar o X.

Não espere que nenhum(a) blogueiro(a) mude o formato ou conteúdo do blog para adequar à sua comodidade/pensamento.


A autora se faz no direito de reprovar todo e qualquer conteúdo que não traga nada à acrescentar ao blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...