sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Dezembro da leveza.

Conversando com uma amiga( adoro essas conversas que acabam em posts pra blog) sobre a diferença no tom de voz dela durante as nossas conversas, eu perguntei o que ela fez durante esse tempo, porque parecia que ela estava vivendo numa vibe super boa,mesmo lidando com certos desafios em sua vida. 

Ela mencionou que ela simplesmente resolveu ACEITAR a ordem e o ciclo das coisas. Ela parou de lutar. Ela passou a meditar na brevidade da vida após ter ido a um estate sale( que é quando uma pessoa morre tudo que ela tinha em casa é colocado à venda pelos familiares ou pessoas próximas). Essa experiência a marcou muito. 

Ela disse: " Tenho certeza que esse senhor jamais imaginou que eu um certo um dia, um bando de estranhos entrariam em sua casa para comprar seus pertences. É louco isso."

Compartilho agora algumas coisas que ela mencionou: 


Parou de atolar a agenda e passou a ter tempo pra fazer o que queria. 

Se livrou de obrigações desnecessárias. Vocês já pararam pra pensar como a gente se obriga à certas coisas que não estão em alinhamento com os nossos valores?

Passou a ser mais seletiva com o que assistia, ouvia, lia e com quem se associava. 

Ela disse que nessa altura do campeonato não se sente mais  pressionada à nada. A consequência disso? O peso dela começou a despencar. E sem dieta. Sem restrição. Sem loucura. O anel de casamento que mal abarcava no dedo agora estava prestes à cair. 

Tudo está fluindo. Simplesmente tudo. Ela chutou as expectativas. As de si mesmas, as que tinha em relação aos outros. Está focando em aproveitar, em sentir, em viver.

Eu fiquei tão tocada com aquilo. Porque a gente insiste em tanta coisa "desnecessária". Desnecessária no sentido de que, se permitíssemos fluir, tudo entraria nos devidos conformes. 

Fiquei pensando em quanto "agoras" maravilhosos já perdemos porque a barriga não tá tanquinho, o peso não caiu, a promoção não veio, vc recebeu um não, vc ainda não tá morando no exterior ou em outra cidade, vc não encontrou o amor da sua vida, alguma relação não tá legal, você não se aceitou, etc.

E aí, e até lá? O que você vai fazer? 
Os dias se passam, semanas e meses e a gente vai se adiando, se colocando como plano B. A gente vai engessando, se permitindo menos, se atolando com mais coisa que não tem nada a ver com a gente, fazendo de tudo pra tá sempre bem a toda hora e isso cansa. 

Eu tô cansada. E vocês?

Se alguém tiver algumas dicas de leveza ou como alcançaram leveza em suas vidas, por favor compartilhem nos comentários.


9 comentários:

  1. Gisley, eu tenho também praticado a aceitação. E acho que esse post se encaixa muito no momento que tenho vivido. Nesses últimos tempos, algumas coisas chatas aconteceram comigo, antes eu me descabelaria, repetiria sem parar "Oh céus, oh vida", agora resolvi aceitar e deixar fluir. Não na inércia, mas fazendo a minha parte, aquilo que me cabe, e deixando Deus agir também. Percebi que consegui superar de uma forma mais inteligente os desafios. Acho que a aceitação é a chave da leveza na vida.

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho tentado parar de me cobrar tanto e entrar em projetos que me pressionam demais

    Com amor, ♥ Bruna Morgan

    ResponderExcluir
  3. É por isso que Palavra nos diz que é melhor ir à casa onde há luto o que naquela onde há banquete, porque lá é vemos o destino de todos os homens, onde não há grandes ou pequenos, melhores ou piores. No final é só Deus por nós e falhamos tanto em correr atrás de ganhar a vida, quando na verdade em Cristo, ela já está ganha e acabamos esquecendo de viver.
    Bjs! Uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  4. Não conseguimos atingir a perfeição. Afinal, somos seres humanos oras! Acredito que desacelerar não acompanhando tanto o movimento frenético que a internet principalmente nos trás é primordial para manter a sanidade!

    Beijos!
    jenifercruuz.com

    ResponderExcluir
  5. A vidas às vezes é tão severa que não nos permite ter essa leveza.
    Bom restante de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  6. Noooossa, Gisley, eu convivo com isso diariamente na faculdade. Pessoas desesperadas com eleições (na época, com a perspectiva do 2º turno se aproximando: vitória de Bolsonaro), com trabalhos (sendo que os trabalhos do meu curso na faculdade são beeem levinhos) e, ultimamente, com a defesa da monografia. Erm... Fico pensando como resistiriam se fizessem uma faculdade de Direito, particular, por exemplo. Penso que as pessoas estão, em especial no Brasil, muito "reclamonas" e sem bases emocionais, mesmo. Dizem tanto da teoria da conspiração (que tem seus fundamentos, às vezes) mas estão sempre a conspirar tudo e todos à sua volta, se autossabotando a si mesmos, com o perdão do pleonasmo.
    O que me ajuda a ser um dos mais calmos entre eles, eu penso, é o cristianismo; o livro de Eclesiastes é um bom tratado sobre essas coisas da brevidade da vida.
    Beijos!

    www.rapeizedinamica.biz

    ResponderExcluir
  7. No meu caso tenho procurado meditar, fazer as coisas simples que gosto e o principal:me afastar de TODAS as pessoas pesadas ;)

    ResponderExcluir
  8. AI, ultimamente tenho me sentido tão pesada com a rotina de fim de semestre, correria e problemas alheios. Mas tenho começado a aceitar tudo que está acontecendo e tentando levar a vida com mais gratidão e menos reclamação.

    naoseavexe.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Menina estou vivendo este momento, sabe uma coia que me libertei amo praia, piscina e por anos fui com roupas com medo de mostrar meu corpo por ser gorda, agora me desprendi uso biquíni com short e isso foi ótimo, estou me aceitando e aos poucos tentando alcançar minhas metas.

    ResponderExcluir

Exporte pensamentos e idéias vc tb!
Aqui, elas chegam rápido e vc não paga nada :)!
Divirta-se e volte sempre :)!

Por favor, deixe e-mail e nome de contato caso não tenha blog ou conta do google.

AVISO: Caso não goste ou não se indentifique com o material aqui exposto, vc tem todo o direito de ir ao topo da página do lado direito e apertar o X.

Não espere que nenhum(a) blogueiro(a) mude o formato ou conteúdo do blog para adequar à sua comodidade/pensamento.


A autora se faz no direito de reprovar todo e qualquer conteúdo que não traga nada à acrescentar ao blog.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...