sexta-feira, 24 de junho de 2011

O que aconteceu com o senso crítico das pessoas?

FONTE: GOOGLE



Gosto muito das postagens da Thaís Alves. Assim como eu, ela traz questões no blog dela sobre sociedade e comportamento que muitas vezes foram colocadas na gaveta ou as pessoas simplesmente fingem  não ver.Poisé meu povo, senta que lá vem estória,e é daquelas, viu? Para a minha infelicidade, passei o final de semana em Starke, pois o final de semana passado foi dia dos pais aqui. Não, eu não fui naquela mentalidade de que a cidade não prestava, isso ou aquilo. Pra falar a verdade, eu fui aberta e totalmente desprendida de toda lavagem cerebral e preconceito que sofri por lá. Eu queria focar no bom, no que poderia ter mudado por lá, no que aquele sertão tinha de oferecer de hospitaleiro.Pelo menos essa vez, eu fui   Jason Bourne mode: off. {leia-se, sem a guarda alta}.Pra quê, meu povo? Só pra levar na boca do estômago, emocionalmente falando.

O domingo até ia bem.Como não pudemos comparecer ao casamento de um casal amigo nosso ano passado, resolvemos levá-los para jantar domingo à noite.Depois que saimos do restaurante, fiquei pensando nas outras pessoas legais, divertidas e maduras que poderia ter convidado, no papo que poderíamos ter tido e como teria saído do restaurante tão satisfeita[ vcs não entender o porque].Vc tem esse tipo de coisa ou é só eu mesmo?

Eu não tenho guarda alta com amigos.Afinal, amigo é alguém que a gente confia, não é mesmo?Ou pelo menos deveria...Porém nada me dói mais do que ser apunhalada pela falta de consideração, imaturidade ou imbecilidade alheia.Desculpa, mas esses tipos de comportamento me ofendem demais.Entenda, eu quero achar que a pessoa não fez por mal, mas ao mesmo tempo eu não sei qual seria a motivação da pessoa compartilhar certa situação.

Eu não tenho paciência com gente síndrome de hiena. É geralmente aquele povo que vive de carniça e geralmente não é a deles.Eles roubam das outras pessoas.Coisas comuns a hienas já que elas não tem nada a fazer ou adicionar em suas próprias vidas...

A carniça em questão aqui é a vida alheia. A desgraça alheia.A conspiração, corrupção, esculhambação alheia. Não sei porque as pessoas de cidade pequena são tão atraídas por esse tipo de pão e circo. Isso pra mim só reflete a falta do ter o que fazer, da mediocridade humana e o fato da vida deles ser tão sem graça que falar das desgraças alheias traz às pessoas daquela cidade uma falsa satisfação derivada da síndrome de Narciso( eu sou melhor que eles!)  presente em suas vidas. Eles se acham melhor do que o povo da cidade grande.Vivem dizendo que o povo de Jax é arrogante, mas eles se acham por serem caipiras, ignorantes e mente fechada.

Vamos ao assunto propriamente dito. Gente, sempre que vou a Starke é uma tristeza. Ao invés de eu saber como as pessoas estão, elas sempre me informam que está dormindo com quem, que está traindo quem, quem deixou a família, quem foi pra cadeia e etc.

Bom, a bola da vez da cidade é a ex-mulher do meu marido e a filha da família que me hospedou antes de eu casar( ouvi coisas horrendas, não sei onde o povo consegue esse tipo de informação e nem quero saber- não tenho nada a ver com a vida da menina)...E essa minha tal amiga veio falar da ex-mulher do meu marido pra gente, como se de coisa que nós tivéssemos interesse em saber. Se ela não fosse minha amiga, eu até entenderia a burrice, mas como amiga eu esperava um pouquinho mais do sistema nervoso central dela.

O marido dela que teve um pouquinho mais de bom senso até disse: poisé né, vamos mudar de assunto! Vcs sabem o que ela fez? Continuou falando como se nada tivesse sido dito.Gente, me desculpa, mas pra mim isso só pode ter sido de propósito.O pior é a pessoa achar que eu tenho que aturar tal comportamento, quando eu sei que às vezes a pessoa diz pra ver se vc vai se juntar à ela e me meter a falar mal da pessoa tb. Eu não duvidaria se a "tal da minha amiga" tivesse ou tem a bola da vez no fakebook, digo, facebook dela. Porque as pessoas de Starke são desse jeito: mete a língua no povo e tem o povo no facebook...

Mais uma vez vcs sabem pq eu não gosto dessas ferramentas.Eu não tenho facebook e nem tenho "a tal da amiga"na minha página, mas como já dizia Os Infiltrados[The Departed], sempre haverá um rato[aquele que passa e traz a informação] de dentro da rede.

Entenda, quero que todos os meu exs namorados sucedam na vida.Até os que me causaram muita dor. Mas só pq desejo o melhor deles, isso não quer dizer que tenho que saber o que eles fazem ou deixam de fazer, e pasmem, os ratos tentaram muitas vezes trazer informações e eu cortei. Cortei, sabe pq? Pq como a pessoa está vivendo a vida agora não é do meu interesse.Essa pessoa já não é mais parte da minha vida e sim do meu passado, então por lá ficará.E seria até estranho se eu tivesse interesse em saber, vcs não concordam? 

Se você leitor(a),gosta de se alimentar do passado, então vá trabalhar no museu ou vá estudar fóssil, ou vá pra Orlando trabalhar na Ilha da Aventura(Disney).Quem sabe vc não encontra uma vaga no Jurassic Park??? A vida continua e o relógio do tempo não espera por ninguém. A vida é muito curta pra viver de passado.

Tb seria muito estranho se eu viesse ao Brasil com o meu esposo e a primeira coisa que as minhas amigas quisessem dividir comigo é como os meus ex namorados estão vivendo[que foi exatamente o que a tal da amiga fez].Que rídiculo! Que falta de tato, de educação, de consideração...Nada a ver!

 Eu sei que meu esposo não se afeta ao escutar dela, mas ao mesmo tempo eu não quero compartilhar da fofoca alheia, pq quem fala da bola da vez hoje, amanhã vai falar de mim tb.
Meu marido morre de medo de querer ser grosso com o povo e eu acho que na mente dele se ele dissesse que não queria ouvir, as pessoas tapadas iriam pensar que ele é que tinha um problema, entende?[ tipo, se vc não se afeta, vc tem a obrigação de ouvir! se não quer ouvir é pq tem problema].Quando o problema é a pessoa tapada.

Eu disse pra ele que na próxima vez eu vou dizer às pessoas que não temos nenhum interesse em ouvir e eu vejo a reação do meu marido, coisa de gente sulista, de ter que ter cuidado pra não machucar o povo. Ora, o povo que me desrespeita sem medo de ser feliz e tem problema pq vou impor limite da fofoca alheia é um povo que não preciso da amizade, sinceramente.

Bom, uma coisa é certa. Só posso agradecer à Deus por ter saído daquele meio medíocre. Starke é e sempre será como  A Vila ( o filme) : pessoas fazem a mesma coisa todo dia, sempre as mesmas pessoas, a mesma vidinha, e quem tentar querer um pouco mais pra si fora daquela atmosfera vai pagar um preço muito alto.

19 comentários:

  1. Eita Gi, cidade pequena eh assim em todo lugar do mundo neh. Aqui onde to morando agora tb eh pequeno, e eu jah fui bem avisada antes de como as coisas funcionam, entao eu sou o mais reservada aqui possivel. Eu tb acho uma falta de semancol danado uma pessoa vir falar da ex assim na cara dua. E alguem perguntou??? Aff. Me irrita. Eu tinha uma amiga em comum com um ex meu, e de vez enquando ela vinha me falar dele. Eu nao tinha medo de falar pra ela que nao tinha a menor vontade de saber. Eu falava, na boa, com respeito. Porque se eu dei um peh e sumi da vida do cabra eh porque nao queria mais contato nenhum com ele. Passado eh passado. E ponto. Como voce, tambem nao quero o mal dele nem mesmo da ex do meu marido (Bryan nunca foi casado antes mas jah teve uma namorada que me trouxe um pouco de problema, mas que jah foi resolvido). Mas como voce falou, nao significa que eu queira ficar sabendo da vida deles. Nao me interessa ue. No meu caso... eu agora sei da vida da ex porque o melhor amigo do Bryan que agora eh casado com a ex de Bryan, haha, rolo da poxa, voltou a falar com Bryan. Entao demos uma tregua, e jah falei pro Bryan que nao me incomoda mais. Nao me incomoda mesmo. Mas nosso caso eh diferente.

    ResponderExcluir
  2. Tem pessoas que não tem desconfiômetro mesmo ou querem ver a reação das mesmas...Puxa, isso não falta em qualquer cidade...Tenho uma amiga que vive insistindo em falar do passado.O qe passou e não deu certo, paciência vai procurar sua turma...
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  3. Óinóin... a foto está maravilhosa, tudo de bom e de FELIZ!!!!

    ResponderExcluir
  4. Ola! Essa é minha primeira participaçao no blog!
    Cidade pequena é froids!Todo mundo quer saber da vida de todo mundo porque é a unica diversao deles! Eu moro num vilarejo proximo de Roma e as coisas funcionam exatamente iguais as dai. So agora, depois de 8 anos, é que o povo começou a me tratar como a mulher do meu marido. Antes me viam como a "outra" mesmo eu estando casada de papel passado e tudo e mesmo ele tendo me conhecido depois de 2 anos que tinha se separado. é dificil! O povo tem a cabeça pequena e pra quem viveu a vida inteira em cidade grande é desgastante ter que se relacionar com eles. Meu maior sonho é ir embora daqui. Nao quero que meus filhos (se um dia eu tiver algum) cresçam dentro dessa mentalidade.

    ResponderExcluir
  5. Gi, estou ligada que eh dificil. eu convivo com ex namorada do meu marido de tempos em tempos ja q tenho um stepson. Amo ele de paixao, mas a mae adora um telefone sem fio, enche o meu saco e quer saber da minha vida toda hora. Eu nao deixo isso me afetar, mas tem dias q nao da. Tb nao curto visitar minha sogra mtu, o povo eh bem akilo q vc descreveu. Ela eh duas caras, mas eu sempre consigo colocar ela no eixo, ja que ela tem turbulencia estomacal haha qdo eu sei que ela ta aprontando. Eu odeio gente leva e tras, meu marido eh como o seu, ele tem medo de magoar as pessoas e nao sai falando o q eu acho q deveria. Entao eu dou a mensagem de uma forma bem polite por ele.Qdo falam algo q eu nao curto eu saio de perto e deixo a pessoa falando com a mao, peco ate licenca e vou ao banheiro no meio de estorinhas. Sabe akela estorinha de caridade do ano? acho q vc fez a sua, alem do mais faca como eu faco, liga o som do seu cerebro e fica cantando no seu pensamento q a pessoa se fecha rapidinho e solta mm im sorry, i was just thinking about something else..but you know i really like your shoes. Eu acho q dps de algum tempo usando esses tipos de comentarios, eu desarmei bastante gente fofoqueira, grosseira, etc.E isso sao pessoas que nao tem Deus no coracao nao, soh tem qdo precisam. Alias a igreja q eu ia onde meu marido morava eu chamava o povo de zumbi, doia ateh meu ouvido. Hj em dia eu oro em casa mesmo, leio minha biblia, agradeco pelo o que eu tenho, ajudo qdo posso e vigio minhas acoes. Ainda estou esperando uma carta com a resposta da minha entrevista, mas deixei nas maos de Deus, Ele sabe o q eh melhor pra nos todos e eh sempre justo!!! bjuuuuuuuuusss

    ResponderExcluir
  6. Vc descreveu o comportamento de qualquer cidadezinha de qualquer parte do mundo: mediocridade. Tá, eu nao posso generalizar tanto. Mas, é por esse mesmo comportamento que eu detesto a cidade aonde meus pais moram e sou obrigada a voltar por causa deles. Pois é.
    Entendo vc, querida. Mesmo. E da próxima, corta sim. Diz que nao quer ouvir e se ela achar que é porque vc se incomoda, azar o dela. Quem tá perdendo a amiga é ela, né?
    E vc fica com a sua paz.
    Bjs e bora ali dançar forró? rs

    ResponderExcluir
  7. ah, joga essa mulher no mato. a gente tem que ficar rodeada eh de gente que nos coloque pra cima. beijos!

    ResponderExcluir
  8. Deusulive dessa raça...Mas isso é
    vida de desocupado, que pensa que todo
    mundo é igual a eles.(patéticos).
    Estamos rodeadas de gente assim,já vi
    que não é só no Brasil eim Gi? Já ouviu falar
    em SAÍ A FRANCESA? COMIGO FUNCIONA rs

    Aqui em teresina piauí, onde moro chamamos essa gente de máfia,
    o ditado Popular aqui é assim:

    "É PAU NA MÁFIA" kkk

    boa semana Gi
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá, Giii! :) Nossa, estou aqui voltando do meu descanso (merecido) de feriadão com a sogrinha aqui em casa, e me deparo com a primeira frase do seu blog que me deixou super feliz :) Obrigada, também gosto muito dos seus posts, pelo mesmo motivo. Muito cara de pau e sem noção mesmo o comportamento da sua "amiga", e se ela se sentiu livre para falar o que queria, também estaria disponível a ouvir o que você tivesse a dizer, que neste caso seria um singelo cala a boca, né...rs Engraçado que eu acabei de postar lá no blog um texto dando um chega pra lá em alguns poucos "blogueiros" sem noção, meio abusados, e justamente venho aqui ler você passando por este tipo de situação, só que pessoalmente, o que é muito pior. Eu sei que ás vezes o nosso coração é bom demais e a gente não consegue dizer o que a pessoa deveria ouvir, mas o que eu sempre tento colocar em mente é que a gente ajuda muito mais alguém quando mostra à ela a realidade, ao invés de ficar tolerando este tipo de comportamento. Isso só faz com que a pessoa insista em fazer este tipo de coisa, magoe mais pessoas e talvez nunca chegue á conclusão da sua inconveniência. Acho que com jeitinho, dá muito bem para dizer quais são os limites que a gente aceita, e respeito é primordial em qualquer relação. Um beijo!

    ResponderExcluir
  10. Ah nem! Tenho uma preguiça de gente assim!

    Porque será que tem pessoas que se preocupam tanto com a vida alheia? Será que é porque tem a vida muito vazia? Só pode ser!

    Meu filho caçula, quando se depara com alguém que tem esse problema, logo dispara: - "Quer saber, você está precisando é de um tanque com bastante roupa pra lavar. Essa conversa tá mostrando que você está muito sem serviço!"

    Hehehehehehe...Tem horas que as pessoas precisam acordar!

    Beijão pra você, garota.

    Tenha um ótimo domingo.

    Cid@

    ResponderExcluir
  11. Ai Gi como eu nao sou tao educada como vc rsrsrs eu fico me perguntado onde a criatura comprou tanta falta de vergonha na cara, amiga da oleo de peroba pra ela #peloamordedeus... e nem vou te dizer o que fazer da prox vez pq eu espero que nao tenha prox vez, desse tipo de criatura amiga o melhor é a distância... bjos e feliz domingo !!!

    ResponderExcluir
  12. Gi, vc tá mais do que certa. Se posicione com toda a educação que você tem, diga que gostaria de conversar sobre outras coisas e move on. Estes papinhos tolos não vão te levar a nada, e pra quem é fofoqueiro ao extremo, só o fato de você ouvir já pode virar o pano pra manga do próximo fuxico (tipo, ela ouviu tudo, so interested!).
    Anyways, gente com mentalidade de ervilha existe em todo lugar.
    Bjs
    Márcia

    ResponderExcluir
  13. Nossa Gi, que chato amiga. O mais triste é saber que uma pessoa dessa não tá nem aí para o próximo, não vem falar pra ajudar, e sim só por falar, pelo prazer de ver a desgraça lheia

    ResponderExcluir
  14. Giiii, adorei!!! Ela tem a voz parecida com as cantoras do "the corrs". Bem gostosinha. Esse estilo de musica dela eh o estilo que gosto de escutar em road trips. Adoro.
    Obrigada por compartilhar. A minha favorita foi: "In Demand". As outras sao boas tb.

    ResponderExcluir
  15. Oi Gisley!

    Voltei, só pra responder a sua perguntinha...:)

    As imagens que uso no meu blog (fora as que são do meu acervo pessoal), são todas do google imagens.
    Da um pouquinho de trabalho achar boas imagens por lá, pois existe muito lixo. Mas com um pouquinho de paciência, a gente consegue "garimpar" muita coisa boa.

    Beijinhos pra ti,

    Cid@

    ResponderExcluir
  16. Gisley, adorei a síndrome de hiena! kkkkkkk Nossa e como tem gente assim! Nas cidades pequenas e em algumas grandes tb, olha o que não tinha de gente pra falar mal da vida alheia e ter inveja dos outros lá em Fortal não ta no gibi viu, inclusive da minha. Isso é gente com tempo ocioso demais! Eu heim, graças a Deus o povo aqui na Suécia é mais reservado e cuida da sua própria vida, pelo menos os que eu conheço! Bola pra frente, o importante é ser feliz! Bjos e a paz de Deus!

    ResponderExcluir
  17. Por isso curto minha vidinha na cidade e morro de medo de acabar num lugar assim.
    Acho que é natural do ser humano ter uma 'curiosidade morbidinha' em relação aos outros mas, tudo na sua hora, no seu momento e com seus limites.
    O que sua amiga fez foi grosseiro e, acredito nao haver problema nenhum em avisa-loa(ou qq outra pessoa) que vc compartilha de outros interesses. Eu tenho uma grande amiga aqui na Alemanha que vive dizendo que se pode falar tudo o que se pensa às pessoas e nao agredí-las se for falado com carinho.
    Nao deixe esse tipo de atitude baixar o astral! Sinceridade com carinho e respeito acima de tudo! E segue a vida!

    ResponderExcluir
  18. Cidade pequena è tudo igual, seja na Europa, na America ou no Brasil. O povo gosta mesmo de uma lenha na fogueira, por isso que eu sempre evito de ir visitar os parentes no interior, inves de ficar sabendo coisas legais, so contam maldade. Tenho horror a isso.

    ResponderExcluir
  19. Ola Gi

    Olha esse post ,me fez lembrar da minha sogra ,ela que era assim ,toda vez que ela vinha passear na minha casa ,so ficava falando da ex do meu marido ,parece que fazia de proposito para me irritar,nao tinha outro assunto era so a Margareth ,a ex.e falar mal da vida dos outros e criticar a minha familia ,pois apesar dela ser de origem indigena , era cheia de preconceitos, ela nao gostava de nordestinos e nos ofendia, chegava a ser repulguinante !!
    E nos moramos no mesmo terreno ,em casas diferentes ,foram 3 anos dificeis!!Mas gente assim tem em todos os lugares nao tem jeito.Aqui na cidade que eu moro (Toyohashi )ate que e grande ,mas como as empresas sao poucas e existe muita rotatividade na troca de serviço entre os brasileiros acaba todo mundo se conhecendo .E tudo que acontece na comunidade todos ficam sabendo as fofocas correm como um rastilho de polvora ,e o povao gosta de ver a desgraça alheia!!!

    Mas e isso ai Gi ,ainda bem que temos Deus ,que e nosso melhor amigo e nele sempre poderemos confiar .bjs

    ResponderExcluir

Exporte pensamentos e idéias vc tb!
Aqui, elas chegam rápido e vc não paga nada :)!
Divirta-se e volte sempre :)!

Por favor, deixe e-mail e nome de contato caso não tenha blog ou conta do google.

AVISO: Caso não goste ou não se indentifique com o material aqui exposto, vc tem todo o direito de ir ao topo da página do lado direito e apertar o X.

Não espere que nenhum(a) blogueiro(a) mude o formato ou conteúdo do blog para adequar à sua comodidade/pensamento.


A autora se faz no direito de reprovar todo e qualquer conteúdo que não traga nada à acrescentar ao blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...