sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Entre o prazer e a dor de ser mulher

FONTE/SOURCE: GOOGLE
Dos últimos filmes que tenho assistido ultimamente, nenhum filme retratou com tanta fidelidade as pressões que as mulheres enfrentam diariamente como o Cisne Negro. Conta a estória de uma bailarina Nina[Natalie Portman] super dedicada, que tem se mantido fiel à compania de dança por anos, fazendo o possível e impossível, esperando por aquela chance de conseguir o papel principal num ato de ballet.



Na maioria das cenas é notório ver como Nina é uma bailarina tão insegura.Apesar de tanta disciplina e técnica, as vozes que ela ouve fazem que ela duvide de si mesma e que não é capaz. Vive o tempo todo querendo agradar à todos, procurando por um lugar de aceitação entre os grupos a que pertence.Gostaria de falar um pouco das pressões mostradas no filme, pressões estas que a sociedade impõe à mulher:


1) a pressão familiar- Essa existe demais.Às vezes ela pode ser no âmbito financeiro, no âmbito emocional, acadêmico ou profissional. Conheço pais que queriam que suas filhas passassem de primeira no vestibular. Outros queriam que eles seguissem uma certa graduação por causa da tradição familiar. Eu sofri esse tipo de pressão, mas me mantive firme.


Fonte/Source: Natalieportman.com[fan site]
Outros colocam pressão nas filhas,sobrinhas,netas, irmãs porque ainda não casaram.É até considerado uma maldição.O jeito que as pessoas falam é tão deplorável que parece que a mulher só tem valor se tiver um homem do lado, qdo elas sabem que um relacionamento é algo muito bom,porém dá trabalho sim.E outra, casamento não é pra todo mundo. Se fosse, não existiria tanto divórcio.

Outras sofrem pressão por não quererem ter filhos e a família simplesmente acha a idéia inconcebível.

Outras sofrem a pressão por quererem ser dona de casa e a família acha que é perda de tempo.

Outras sofrem pressão pq não se vêem casando e querem viver, conhecer o mundo, pessoas e viajar só. A família acaba achando que há algo errado com a pessoa.Isso é bem colocado em outro filme que eu falei aqui .

Existe a pressão de ser boa filha, boa esposa, boa amante, boa mãe,boa sogra, boa amiga, boa profissional.

Em suma, a nível familiar, nós mulheres sofremos muito tipo de pressões.Isso começa desde cedo, dentro do nosso ninho. E por falar de pressão, Nina lida com a pressão da mãe que a protege demais e projeta seu sonho despedaçado de bailarina na filha.Sim, ela faz muitas coisas pela filha, mas se a filha decide se impor, é aquele inferno.Nina então passa a lidar com um distúrbio alimentar, uma alergia derivada da psicossomatização dessas pressões que ela internaliza  e a dificuldade de dizer não. Você já viu esse filme na vida real?


2) Pressão da popularidade - É passada a impressão que uma mulher de prestígio é uma mulher de muitos amigos e admiradores,do tipo como se ela tivesse um ímã que atraísse à tudo e à todos, pq para nós, relacionamentos é algo que está intimamente ligado à nossa essência.Gostamos de nutrir os relacionamentos, gostamos de pessoas, de conversar, de saber como estão e ter um feedback. Quando isso não acontece, geralmente duas coisas acontecem:

Fonte/Source: Natalieportman.com [fan site]
-começamos a nos comparar com quem tem carisma e está sempre cercada de pessoas.

- começamos a nos perguntar o que há de errado conosco.

Conheço mulheres que deixaram de convidar uma amiga para um passeio, um aniversário ou um encontro com outras pessoas pq elas estavam cansadas de ver a fulana "roubando a cena" ou ver todos os homens com sua atenção nela. Agora me diga se isso não é triste?

3) Pressão da sexualidade - Essa é a mais famosa de todas.É uma ditadura mesmo.Você vê isso nos comerciais, nas revistas, com produtos, com as amizades...Está em todo lugar. Em nenhum outro momento a mulher foi tão psicologicamente violentada a ser promíscua como nos dias de hoje.Isso em todas as categorias: no falar, no agir, no vestir,no pensar, no sentir.As mulheres que não se enquadram nesse parâmetro são consideradas sem graça e sem sal.

Fonte/Source: natalieportman.com[fan site]
Se você não sai por aí dando,se você não seduz o homem, não cai em cima dele, se você ainda é virgem, ou se vc só quiser liberar quando casar, eles pensam:  volte para o seu planeta, Alfie!Você certamente não deveria estar entre nós!

Estão tentando dizer que fora o nosso corpo, não há mais nada o que se aproveite.Que para  a mulher chegar em algum lugar na vida, ela tem que ter muito sex appeal.O nosso corpo que está ligado tb ao nosso coração e emoção agora não passa de algo a ser visto, usado, desfrutado e jogado fora como camisinha - #prontopolemizei!

O corpo de uma mulher é apenas um meio para um fim. Você vai ver esse tipo de pressão bem trabalhada no filme e tb o culto ao corpo.

Isso tb tem sido muito comum nas letras de músicas e videoclips...Geralmente se é uma mulher cantando, ela diz o que vai fazer com o homem na cama, e se for um homem cantando, geralmente está ligado às partes do corpo de uma mulher.

4)pressao vinda das más companias - sutil, mas presente.Aqueles que parecem se importar com a gente, e até sabem como chegar ao íntimo do nosso coração, sabem como falar, como nos fazer sentir bem, mas só o suficiente para tirar aquilo que temos de melhor.Depois disso, o resto é só conversa...

Fonte/Source: Natalieportman.com [fan site]
5)Pressao de ser insubstítuível - Eu acho que esse foi um dos pontos mais bem elaborados no filme. Nós mulheres sempre queremos um lugar na vida da pessoas que amamos, lugar esse que será sempre nosso.Detestamos a substituição.Substituir significa que coisificaram a gente.E isso dói demais.A pressão de ser essa pessoa que sempre tem que fazer e acontecer para ser insubstituível é demais.Chega a ser até uma obssessão, no caso do papel da atriz.

6) A pressão da perfeição - Vocês já notaram como é cobrado de nós uma imagem de uma mulher perfeita? Vou fazer algumas comparações aqui e embora não sendo uma feminista, concordo muito com essas colocações:

Fonte/Source: natalieportman.com [fan site]
- Se um homem lembra de fazer algo por alguém[sem que ninguém o tenha pedido], é pq ele é atencioso, mas se a mulher faz o mesmo, ninguém a reconhece como tal.

- Homem que dá piti é pq é macho e tem as rédeas, mulher que dá piti é pq sofre de um comportamento disfuncional.

- Se o homem esquece de fazer algo, ninguém cai tanto em cima assim,mas se a mulher esquece,onde ela estava com a cabeça?

- O homem chega numa festa e traz refrigerante todo mundo agradece.Se a mulher chega numa festa e traz algo comprado, o povo fala: eu não acredito que ela passou na padaria/confeitaria!

- Se ela leva de casa e não ficou bem feito, o povo fala:  custava ter encomendado um bolo para uma ocasião dessa?

- O homem vai para um social, as pessoas estão mais preocupadas com a simpatia dele.

A mulher vai para um social e estão mais preocupados com a aparência dela.

-Se o cabelo estiver perfeito e as unhas não foram feitas, o povo fala.

- Se as unhas estiverem lindíssimas,mas ela não teve tempo de fazer o cabelo, o povo fala tb.

- se ela vem muito arrumada, o povo fala.

- se vem vestida mais casual, o povo fala.

- se ela vier lindíssima dos pés à cabeça e não trouxer nada, é uma folgada.

- se ela trouxer um prato ou sobremesa mas não teve tempo de se arrumar pq passou tempo demais na cozinha, é desleixada.

Bom essas foram algumas das coisas que eu lembrei. Eu recomendo o filme, gostei muito do script e a performance de Natalie Portman está imperdível.


Se você lembrar de qualquer outro tipo de pressão que não foi mencionado aqui,por favor mencionar no comentário.

E vcs? Qual foi o pior tipo de pressão que já sofreram na pele por ser mulher e pq?

26 comentários:

  1. Ai, esse filme é sensacional! Até o final dele, que de alguma forma ela acha uma maneira de ser perfeita e de terminar com tanta dor que ela carregava (não que a forma seja correta, né, mas acontece com muita gente). Acho que o filme traz tantos pontos para discussão, é muito bom mesmo!

    Homem também sofre pressão: dar segurança a família, prover...
    Na mulher a coisa é mais complicada, porque além da pressão social tem a pressão pessoal que são implacáveis. Tem muito estudo em relação ao gênero que aponta que a mulher se culpa muito mais que o homem pelos erros (até pelo erro dos outros). E aí né, tanta pressão tem que "sair" de alguma forma, seja na pele (O Sistema nervoso central e a pele se desenvolvem do mesmo folheto no feto e por isso têm uma relação forte), na mente, no corpo, na criatividade, atividade física, trabalho. Cada um canaliza de um jeito.

    ResponderExcluir
  2. Dificil ser mulher, né? Muita pressão... O importante é ser feliz! Liga o fod*-**!

    ResponderExcluir
  3. Olá Gisley, muito inteligente o seu texto e suas comparações, isso faz parte do nosso cotidiano!

    A pressão que venho sofrendo no momento, é a de ter filhos. Eu e meu marido queremos muito ter um filho, porém estamos em fase de mudanças na vida profissional e ainda ñ é momento!

    O que me incomoda são os comentários maliciosos.
    Porque intimamente ninguém pensa que se um casal ñ tem filhos ñ depende somente da questão escolha, às vezes pode ser algo relacionado à saúde e essa pressão mexe com o psicológico de quem está tentando e ñ consegue. Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Parabens pelo seu blog...Fique na Paz.

    ResponderExcluir
  5. Oi Gisley, td bem?

    Tô passando aqui apenas para dar um retorno do seu comentário. Eu viajei, casei, e fiquei ausente do blog. Olha, eu tenho skype sim, no momento não tô usando pq estou com problema no microfone, meu esposo vai dar uma olhada pra descobrir oq é. Mas a gente pode conversar pelo MSN por enquanto.. Eu ia adorar trocar experiências com vc, até pq eu e meu esposo temos planos de morar fora do Brasil, talvez os EUA seja uma opção.

    Um beijão e um ótimo fds!

    ResponderExcluir
  6. Gi, excelentes colocações. Confesso que vi o filme com outros olhos, com o olho de soltarmos o nosso lado mau mesmo. Pararmos de sermos tão boazinhas e certinhas com o mundo e menos com a gente.

    Mas acima de tudo, acho que esse filme nos leva a buscar a relflexão, seja para que lado for.

    Gostei muito da suas colocações.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olá Gi!
    Gostei muito desse filme, a Natalie tá incrível como Nina.
    O que mais chamou minha atenção foi o fato dela anular as próprias vontades pra satisfazer as da mãe. Acho isso sufocante, e se tivesse na mesma situação que ela também ia ficar maluca!
    Acho sim que mulher sofre mais pressão que homem. Tento não dar importância a essas coisas, mas às vezes irrita muito, principalmente se tiver na tpm. rsrsrs

    ResponderExcluir
  8. Adorei o texto!!!
    Eu vivi na pele a pressão para casar, cada vez que um relacionamento chegava ao fim era mais o fim do mundo para minha falimia que para mim, como se eu tivesse algo errado por ainda nao estar noiva ou casada. Desde o meu casamento começaram as pressões para engravidar, realmente é irritante!!!
    Mas a pior pressão que vivi foi devido ao fato de ser diferente (mas isso não é especifico da mulher). Nem me acho "tao diferente assim", mas tenho um jeito particular de ser que chama a atenção dos outros em uma conversação, e ai vem a pressão para pensar igual, me vestir igual e fazer igualzinho a todo mundo!

    ResponderExcluir
  9. Adorei o texto!!!
    Eu vivi na pele a pressão para casar, cada vez que um relacionamento chegava ao fim era mais o fim do mundo para minha falimia que para mim, como se eu tivesse algo errado por ainda nao estar noiva ou casada. Desde o meu casamento começaram as pressões para engravidar, realmente é irritante!!!
    Mas a pior pressão que vivi foi devido ao fato de ser diferente (mas isso não é especifico da mulher). Nem me acho "tao diferente assim", mas tenho um jeito particular de ser que chama a atenção dos outros em uma conversação, e ai vem a pressão para pensar igual, me vestir igual e fazer igualzinho a todo mundo!
    Milena (viverplenamenteparis). Ps.: soh consigo postar no seu blog como anônima!!!

    ResponderExcluir
  10. Ótimo post, Gi! Eu acho que a maior pressão que eu já sofri foi "provar para todo mundo que eu não precisava provar nada pra ninguém". Acho que era bem por aí, eu tive muito cedo a necessidade de dizer a todos e a tudo que eu não aceitava essa ditadura. E para isso tornei-me independente demais. Tanto que depois tive dificuldade de ajustar-me à vida dois e de aos poucos entender que eu podia baixar a guarda, porque inclusive não precisava mais provar nada para mim mesma. Quando a pressão vem de nós mesmos também é fogo! rs Mas acho que o mais digno é sermos nós mesmas, nem sempre é o caminho mais fácil, mas certamente o melhor. Polemizar, dizer não e desagradar vale a pena se estivermos sendo autênticas. E que os outros falem, porque já irão falar de qualquer jeito...rs

    Um beijo!

    P.S: Fiquei esta semana mais afastada da internet e vc bombou, hein, 3 posts ótimos pra ler! rs

    ResponderExcluir
  11. Oiii, volto aqui depois de ver o filme para ler suas impressões! =) Bjss

    ResponderExcluir
  12. Gi, esse é o tipo de filme que nos faz refletir sobre várias coisas. Não foi a toa que te instigou a escrever um post tão bom!
    É certo que a pressão é forte, mas ao meu ver, não existe nada que nos pressione se não deixamos!
    Não podemos deixar de comentar também sobre a atuação perfeita da Natalie Portman. Certamente este papel ficará marcado não só no seu portfólio, mas também nas suas mais maravilhosas lembranças profissionais.

    Parabéns pelo post!!!!!!!!!
    Um beijo!

    ps.: também amava o Snoopy! rs

    ResponderExcluir
  13. Ola Gi

    Recentemente li em outro blog ,o resumo desse filme ,e estou ficando cuiriosa para assistir.

    E olha que coincidencia :inspirada no ultimo congresso das senhoras ,stou escrevendo um post, exatamente sobre nos mulheres, e como somos pressionadas.

    E olha Gi, concordo plenamente contigo ,em cada palavra que escrevestes .Eu sempre fui pressionada de uma forma ou de outra.Ultimamente sofro com a pressao do meu marido, que quer,que eu trabalhe fora,mas ate ai tudo bem , o problema e que ele quer fazer o meu horario de trabalho ve se pode?

    Super beijo

    ResponderExcluir
  14. Minha amiga baixinha mas que sabe caçar eu nao vi o filme mas sei que na vida tods nós lutamos para ter o papel principal
    kis :=) BFSEMANA

    ResponderExcluir
  15. Ola Gisley, é duro ser mulher com certeza e por mais que a mulher tenha conquistado o seu espaço na sociedade, tem ainda muito preconceito e sofre ainda muita pressão! Seria bom que pelo menos cada um começasse a tomar conta da própria vida né, já iria melhorar muito a situação! Sofro muito a pressão do trabalho que não tenho ainda e do filho/a que não tenho ainda, mas Deus é bom e tudo tem o seu tempo! Não assisti esse filme, mas obrigada pela dica! Bjos

    ResponderExcluir
  16. Acho que pra quem mora longe do Brasil, a maior pressao eh em nao ser igual ao estereotipo que todos esperam que a Brasileira seja. Aquele estereotipo ruim, baixo, vulgar, etc.

    ResponderExcluir
  17. Nossa, me identifiquei bastante com esse post, essa pressáo toda... Pressáo pra estudar, casar, ter filhos, saber cozinhar estar linda... afff quem aguenta! ah e ainda por cima ter grana pra tudo isso, por que agora homem reclama se a gente usa o dele....

    ResponderExcluir
  18. Gisley, arrasou no post. Realmente é mta pressão, e no meio em que vivo (o musical) a pressão sexual é muito forte, parece que somos só mais um pedaço de carne... e é bem isso, se vamos contra o "sistema" somos de outro planeta. Adorei seu texto, muito bom mesmo!!

    Beijossssssss

    ResponderExcluir
  19. Vi esse filme ano passado no cine antes de vim para Noruega, e sei lá me senti meio tristonha depois que sai da sala, justamente por sentir a pressao do tal...a arte imita a vida...sem duvida...
    Por mais pressionada que eu me sinta em todo o conjunto, ta ai uma coisa que eu amo é se rmulher!!! vc me fez refletir muito sobre o nosso papel na sociedade, no mundo, e dentro de nós mesma. bjs Gi...

    ResponderExcluir
  20. Eu assisti no cinema. MUITO bom mesmo.

    Gi, criei um blog novo! :)

    Se cuida e beijo grande,

    Rebeca

    ResponderExcluir
  21. Eu adorei esse filme, sensacional!
    Realmente nós, mulheres, ainda sofremos bastante pressão externa, mas acho que nossos maiores opressores estão dentro da gente, somos nós mesmas.
    Quando escolhi estudar Letras, minha família e alguns amigos ficaram desapontados porque achavam que eu poderia fazer "coisa melhor". Mas nem dei ouvidos, fiz Letras e adorei cada segundo dos 5 anos de faculdade.

    Beijo!
    Line, Meias Palavras

    ResponderExcluir
  22. Esse filme tb tá na minha lista, mas tenho adiado um pouco pq sei que tem cenas fortes e não tenho muito estomago.
    É verdade mesmo que sofremos muitas pressoes, a sociedade impoe muita coisa né? E acabamos sendo levados por esses turbilhoes de propagandas e palavras. Essa coisa de querer agradar a todos sem poder ou a pressão da aparencia e sexualidade, isso é muito ligado ao que é a perfeicao da mulher nos dias de hoje, o que é preciso fazer para ser reconhecido.

    Acho sempre interessante que vc consegue ver sempre alguma licão nos filmes que assiste, provavelmente eu teria tido dificuldades de enxergar tanta coisa e aprendizado num filme só! Acredite.

    Bjs e Boa semana
    Debby (mulher de fases)

    ResponderExcluir
  23. Eu acho a grande pressão pra nós mulheres, é a ditadura da beleza, da magreza, da juventude.
    Exagera-se no silicone, no botóx, inclusive umas chegando a morrer.
    Nada tenho contra quem quer ter melhor auto estima, mas normalmente o limite é ultrapassado. Porque tudo tem um limite.
    Sem contar que se você é mais nova tem a seu favor a juventude, mas em contrapartida a imaturidade. Já se é madura, em contrapartida tem as rugas, mas uma cabeça supostamente melhor. Mas nao interessa, o importante é ser bonita sempre.
    Nos é cobrado perfeicão demais, fora todos esses outros itens que você tao bem colocou.

    Fiquei mais curiosa ainda agora pra assistir esse filme, que já tinham me indicado, inclusive tenho baixado e ainda nao assisti. Valeu a dica!!

    ResponderExcluir
  24. Oi Gi, andei sumida né? Estou estudando para um concurso e dando uma repaginada num blog. Mas olha que mensagem esta que você passou, demais! Sabe eu sinto muitas dessas pressões, mas como vc disse em uma parte da postagem, que qd somos diferentes as pessoas nos tratam como se não fossemos deste mundo. E realmente não somos, nosso lar não é aqui. Graças a Deus, pois este mundo já está sem sal. Realmentete a sensualidade está liderando, tanto na Tv, quanto nas ruas, chega a ser triste dever o qt as mulheres se mostram para ser valorizadas. Não se tem mais respeito algum pelas familias principalmente nos meios de comunicação.
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  25. Oi Gi,

    eu acho que a pior pressão que a gente sofre é em relação à sexualidade. Você tem que estar sempre perfeita fisicamente, sem falar que deve ser um doce o máximo que puder, essa sensação de estar sempre competindo com as outras mulheres no quesito beleza me deixa super incomodada. Vejo que os casamentos por aí passam por muitas fases, e isso me assusta. Essa de estar perfeitamente linda sempre, um doce, bem humorada, inteligente, trabalhadora, boa cozinheira, boa de cama, etc.... Nossa!!! Não sou casada ainda, mas penso em como ter tantas qualidades assim em mim, que sou uma só. Acho que só me resta pedir muito a Deus que me dê um marido fiel ao Senhor, primeiramente, mais que tudo, e muita graça e misericórdia na minha vida pra passar por todas as fases da vida da melhor maneira possível, com sabedoria divina. Bjim...

    ResponderExcluir
  26. Oi
    adorei o post mesmo, há um ponto que eu acho que não foi muito referido. Quando a um divorcio, separação, enfim o fim de uma relação, a não ser no caso de violencia ou traição pela parte do homem, a culpabilizada pela situação é a mulher. Porque não era boa dona de casa, porque não satisfazia o homem, porque engordou ou se desleixou na aparencia, porque gastava demais, porque ficou sem graça, enfim enumeras razões mas todas elas usadas por pessoas que não estiveram lá para ver o que aconteceu para a relação acabar. E se o homem se tornou frio e não ligava mais pra companheira, era a companheira que não sabia seduzir o homem e ficou sem graça. Quando em muitos casos, a mulher invistiu tudo o que podia invistir na relação e ele simplesmente se fartou de ter uma relação. Se for a mulher a por um fim na relação, então a culpada e ela porque desistiu duma relação.
    Mas em pleno sec XXI com tanta modernice e liberalização, ainda somos descriminadas pela sociadade directa e indirectamente, e não me parece que tão cedo se consiga mudar.

    ResponderExcluir

Exporte pensamentos e idéias vc tb!
Aqui, elas chegam rápido e vc não paga nada :)!
Divirta-se e volte sempre :)!

Por favor, deixe e-mail e nome de contato caso não tenha blog ou conta do google.

AVISO: Caso não goste ou não se indentifique com o material aqui exposto, vc tem todo o direito de ir ao topo da página do lado direito e apertar o X.

Não espere que nenhum(a) blogueiro(a) mude o formato ou conteúdo do blog para adequar à sua comodidade/pensamento.


A autora se faz no direito de reprovar todo e qualquer conteúdo que não traga nada à acrescentar ao blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...