segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Imunize-se contra a Síndrome do Coiote


FONTE/SOURCE: GOOGLE





American drama!!!Tenho certeza que igual à essa você já viu muitas.Senta que lá vem estória.

Zilpa* tinha tudo, ou digamos, quase tudo. Pelo menos na minha opinião ela tinha tudo. A sogra a amava, tinha o emprego que sempre quis, um bom marido, seu próprio carro.Tinha realizado o sonho de ir à um país de idioma espanhol para celebrar o seu primeiro ano de casamento. Tudo que ela queria realizar ela conseguia e isso na minha opinião é sucesso.

Existe outra pessoa nessa história : Risoflora*. Essa aqui era solteira,tinha muitos amigos, tinha tempo nas mãos.Dona de uma segurança fora do sério.Embora estivesse desempregada, não era desocupada.Estava sempre procurando por emprego e no tempo livre usava para ajudar as pessoas, levando-as no médico,ajudando a sua mãe sempre que possível, etc .

Já a Zilpa, no tempo livre usava para se lamentar da vida.Tinha mania de vitimização.

Onde Risoflora passa, ela chama a atenção.Não, ela não usa roupa decotada, ela não rebola, ela não dá em cima de ninguém,ela é apenas ela mesma e as pessoas gostam disso.Nem maquiagem ela usa!Detalhe, ela é gordinha gente! Mas uma gordinha tão segura de deixar qualquer mulher vara-pau no chinelo, pense!Ela tb é alta.

 Ela não vai dizer nada para te impressionar, mas tb isso não quer dizer que ela vá deixar de expressar sua opinião.Tem personalidade forte.

A Zilpa[que na minha opinião tem tudo] tem um problema com a Risoflora,embora a Risoflora não tenha nenhum problema com a Zilpa.

É sempre assim.Vem do nada. Não tem cabimento,mas quem disse que toda pessoa mal resolvida precisa de cabimento/motivo para ter problema com a outra, não é mesmo? Esse é o problema da Zilpa. Embora tenha a vida que muitos queriam ter, ela é muito insegura. Não confia no taco e está sempre competindo com outras pessoas, só sabe se lastimar.Quer que todo mundo passa a mão na cabeça dela,fique dizendo que ela é isso e aquilo, alimentando essa doença de vitimização que ela tem.

E outra, ela se sente no direito de  dizer tudo o que pensa dos outros sem filtrar nada, mas se alguém fizer o mesmo com ela, ela desmonta feito quebra-cabeça.Típico comportamento do americano sulista que nós conhecemos bem, não é Karol?

Então nem preciso dizer que ela fala muito mal da Risoflora,né?

Para Zilpa:

Risoflora não é segura, é arrogante.
Risoflora não é carismática, ama ser o centro das atenções.
Risoflora não é articulada, é metida a sabe tudo.


Em suma, só ela não vê que Risoflora consome seu tempo, suas conversas, sua mente, sua vida. Zilpa dorme, acorda, pensa, executa e respira Risoflora, esta por sua vez, tem a vida de Zilpa nas mãos sem fazer nenhum esforço. Pra ser sincera a Risa nem sabe disso e na verdade nem liga! Está ocupada demais, focando nos objetivos que traçou para si!

Queridos, quero lhes apresentar a síndrome do Coiote. Síndrome que só prejudica a pessoa que a tem e nunca a pessoa que esta está  a perseguir. Enquanto o papaléguas corre,rumo ao seu destino,  o coiote , por mais que planeje contra o papaléguas, está sempre em uma esteira ao invés de uma moto:corre,e por mais que aumente a velocidade, nunca vai sair do lugar ou alcançar seus objetivos!

Aos poucos foi ficando claro que Zilpa tinha inveja de Risoflora.Falava mal de como ela cantava na igreja.Quando Risa fazia um solo,a Zilpa dizia que a Risa tinha acabado com a música.

Alguém pode me dizer quantas vezes a Zilpa teve a coragem de dizer isso na cara da Risa? Se eu disser nenhuma, vcs chocam que poem ovo ou não?

Agora veja quem é a verdadeira arrogante da história! A Risa por viver a vida dela ou a Zilpa por desmerecer algo que ela nunca batalhou pra ter /não tem interesse e nem se esforçará pra conseguir?Isso pra mim é arrogância em sua essência.




Quem tem sua fé , independente de ser evangélica, católica ou qualquer outra religião , sabe que cantar numa igreja não é cantar para uma seleção do American Idol. No primeiro caso,a mensagem é mais importante que a voz que canta. O foco do canto congregacional é ministrar no coração das pessoas alguma forma de alento, segurança, alegria e conforto. Mas a Zilpa estava ligada mais na forma do que na substância da Risa. Outra coisa sobre a síndrome de coiote:

A pessoa geralmente confunde, faz uma leitura errônea e deficiente da situação e do talento alheio, colocando-se como juíz ou expert naquela área. 

Eu ficava achando aquilo muito "engraçado", pq embora as 2 participassem do mesmo coral, Risa era assídua e Zilpa mal ia para os ensaios e às vezes nem ia. Uma falta de compromisso total.

Um dia ela veio novamente com essas conversas de falar mal da Risa, da voz dela. Como tinha cansado daquele lenga-lenga, disse à Zilpa : Se ela canta bonito ou não, isso não é da minha conta, mas pelo menos ela é compromissada com aquilo em que está engajada. Isso ninguém tem o que questionar.

Zilpa murchou. Não tinha o que argumentar.Também não dei margem. Ela sabia que eu tinha dito implicitamente que ela não tinha nenhum compromisso com seus trabalhos ministeriais.

Me pergunto se Zilpa falaria mal da Risa caso esta fosse tão insegura quanto ou pior que a ela.Acho que não. 

Tb creio que se Zilpa fosse tão segura do taco dela ou ainda mais do que a Risa, ela tb não estaria perdendo tempo "churrascando a outra". Afinal, quem sabe mostra a cara e faz ao vivo ao invés de ficar dizendo as coisas pelas costas.

As pessoas não têm inveja do que elas compartilham em comum com outras pessoas.

Elas têm inveja de pessoas que têm o que elas não têm,mas queriam muito ter. Até poderiam ter e muito mais, se não perdessem tanto tempo se encomodando com a vida dos outros.

Uma forma que elas usam é sempre rebaixar o que os outros fazem de bom ou julgar as motivações através das ações das  pessoas.Projeção é uma velha técnica de ataque:no caso de Zilpa,aos olhos dela, o problema não era a sua própria insegurança, mas sim a "arrogância"[na verdade a segurança] de Risa.

Quem é que pode ver lá dentro do coração, se não Deus? Caso a pessoa esteja fazendo a coisa certa pela motivação errada, não se preocupe...mais cedo ou mais tarde a máscara cai!

Caso vc queira mostrar aos outros como aquela pessoa é tão assim e tão assado, eu te aconselharia olhar para o chão. Se olhar, verá que sua máscara já caiu há muito tempo e vc não se deu conta.

Para terminar essa estória, quero dizer que aos poucos eu comecei a me afastar da Zilpa. Se ela falava mal da virtude da outra, como eu poderia esperar que ela iria torcer pelo meu sucesso ou iria admirar alguma virtude? Será que eu poderia contar algo que alcancei e ela ter maturidade o suficiente para ouvir sem jogar areia no meu caminhão? Não sei.

Só sei que, quanto mais ela falava mal da outra, mais dava pra ver o brilho da Risa. A Zilpa sem se tocar, começou a atrair as pessoas para mais perto da Risa ao invés de atraí-las pra si.

O problema não era porque a luz da  Risa brilhava demais, o problema era porque a luz da Zilpa não brilhava como deveria.

O palco da vida da Zilpa só pertecencia à ela, mas ela estava ocupada demais pensando com quantos tomates ela deveria acertar a Risa caso esta entrasse em cena em outro palco. Que triste, não?

Acho que Niceto Zamoura tinha razão:

"Os ataques da inveja são os únicos em que o agressor, se pudesse, preferia fazer o papel da vítima."

Está na cara que esse pecado capital transcende status, poder, cultura, idioma, habilidades e posição geográfica.


FONTE/SOURCE: GOOGLE



Tenho duas perguntas para vcs :

1) Você está mais para coiote ou está/foi vítima da coiotice alheia? Abre o jogo aí!

2) Caso more fora do Brasil, como a sociedade em que vc está inserido(a) lida com a inveja? As pessoas têm inveja dos outros ou não? Cite um caso.

** nomes fictícios.

25 comentários:

  1. Decididamente, eu não sofro do síndrome coiote.
    Vivo e deixo viver, mas, sim, perto de mim existe alguém com a mania que é muito franca, diz tudo quanto lhe vem à cabeça e morre de inveja de mim, sem eu saber porquê, já que ela tem tudo o que eu tenho e tudo para estar bem.
    No entanto, é pobre... vá lá a gente entender?
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. 1) acho que estou mais para vítima, apesar de na maior parte das vezes não notar, é preciso uma terceira pessoa me dizer. Até porque eu sou tão insegura que não tenho motivo para alguém me invejar...mas também não invejo ninguém. O meu objectivo é encontrar o meu caminho, a minha serenidade e nada mais.

    2)Em Portugal, a inveja é um caso crónico mesmo. Em todos os sectores, mas no profissional se nota ainda mais. Os colegas estão sempre dando facadinhas nas costas. Enfim, é muito triste.

    óptimo tema :)

    ResponderExcluir
  3. Olha Gi de verdade, houve uma epoca que eu me sentia rodeada de coiotes quando eu morava no Brasil, quando eu conheci meu esposo...eh uma historia pessoa, que só eu e ele sabiamos o que realmente rolava entre a gente e dimessao desse sentimento, mas as ´´coiotes´´de um determinado lugar o qual eu frequentava de segunda a sexta....viviam fazendo fofoquinhas que eu era doida de querer um homem que conheci na net, que eu ia sair de um trabalho seguro por conta d eum gringo, que eu nao gostava dele era interesse, que isso ou que aquilo....mas eu super na minha sempre sabia disso por terceiros também, e me dava um Odio saber dessas fofocas, por que o ambiente era profissional, nao cabia ali se envolverem na minha vida e pior falar por trás o que achavam que sabiam,(um dia eu peguei duas falando de mim, dizendo que eu era gordinha, baxinha, que isso nao era o perfil de brasileira que gringo gostava, que meu esposo ia me vender ou me fazer de empregada dele) kkkkk eu apareci na hora e disse, CONTINUEM.....NAO PAREM...pode falar...VCS VAO CONTINUAR fazendo conjecturas por que minha boca eu só abro pra quem confio e nao eh o caso, e sai da sala....chorei depois de raiva, mas pra elas eu nunca mordi a corda, deixava pra lá e fui em segredo arrumando meus documentos pra vim embora pra Noruega, o curioso hoje eh que duas dessas coiotes estao no meu msn por que já usavamos esse email pra coisas profissionais também, ai agora que tô aqui e nada do que elas fofocavam aconteceu ´´gracas a Deus´´vivem me escrevendo dizendo AMIGAAAAA SAUDADES, TE AMO TANTO!! rsss eu caio na risada e respondo de forma gentil obg querida, fique bem. Mas nada!!!! Eu nao sei fingir amor, afeto carinho, ou dou tudo que tenho, ou simplesmente sou gentil, respeito e mantenho distancia....Mas aqui no meio onde vivo sei lá pode ser impressao, minha, mas as pessoas estao mais ocupadas com suas proprias vidas, nao ha essa invasao na vida do outro, e eu gosto muito disso!! estou mais longe do coiotes hoje, mas nunca me senti vitima deles, por que assim como o papa-leguas eu estava focada no meus objetivos. ADOREI O POST QUASE DEIXO OUTRO.... bjs

    ResponderExcluir
  4. 1)Definitivamente sou vitima! Se eu te contar o que já disseram de mim, eu tendo tratado a pessoa como amiga de verdade, vc cairia pra trás! Mas aprendi a fazer que nem a Risaflora: TO NEM AI!Simplesmente me afastei e pronto!

    2)é bem difícil de falar sobre os italianos nesse sentido.Acho que a inveja é uma questão relacionada ao ser humano e todo mundo já sentiu uma pontinha em algum momento da vida. O diferencial é como a pessoa lhe da com esse sentimento. Os italianos que são invejosos, na minha percepção,tentam ferir com as palavras(e são muito bons nisso). Quando alguém exprime alegria ou satisfação por algum motivo, logo vem os comentários tentando minimizar ou até mesmo ignorar o motivo da felicidade do outro. Exemplo: Quando decidi fazer universidade aqui o povo tentou me desanimar dizendo que, na Itália, universidade era só para filhinho de papai e não para uma mulher casada como eu. Fiz 2 anos de faculdade e foram 2 anos de comentários desanimadores e torcida declaradamente contra. Acabei desistindo mas por outros motivos.Ainda tive que ouvir uns falarem que sabiam que eu não ira chegar até o fim...

    ResponderExcluir
  5. Oi Gi!

    Amei esse post! Ele fala de uma coisa muito séria e que acontece frequentemente ao nosso redor e que nem mesmo nós estamos imunes. Olha, sempre fui uma pessoa batalhadora e decoradora do meu próprio jardim. Sempre fui muito alegre e sorridente espontanemante e isso incomodava muita gente. A questão é que eu nem percebia. Eu ouvia de outras pessoas: "Ah: Fulano tem muita inveja de você..." Acontece que cresci e a adquiri aquela perspicácia de enxergar certas coisas. Tenho um relacionamento muito bonito com meu marido (desde o nosso namoro) e além disso ele é muito bonito e carismático, o que às vezes acaba despertando uma certa inveja em pessoas Às vezes do nosso próprio convívio. Isso me incomoda muito. Por outro lado tenho tudo para ser muito feliz igual à Zilpa e confesso que já passei por situações em que não enxergava tudo de bom que tinha e isso abre portas para você olhar a grama do vizinho e dizer que ela é mais verde que a sua. Todos estamos sujeitos. Oro à Deus para me fortalecer e me mostrar que eu sou protagonista de meu próprio filme: o filme de minha vida e ser feliz de forma espontânea e agradecendo e valorizando tudo o que tenho e tudo o que Ele me dá.
    Gi, obrigada por este post, ele me fez refletir um pouco e me ajudou também. Valeu!
    Um beijo! boa semana!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Ai Gi, essas coisas, infelizmente, sempre existiram em todos os tempos e em todos os lugares... É um mal que assola a humanidade!

    Quando se chega a idade que eu cheguei, felizmente, a gente tira isso "de letra", e quase que conhece a pessoa só de olhar para a cara dela.
    Ganhamos também tanto "jogo de cintura", que fica cada vez mais fácil lidar com essas situações.
    São os ganhos da idade! ;-)

    Menina, esses dias estou tão atarefada, e também tão com a cabeça na lua (só pensando no netinho que está para chegar esse mes), que por ter ficado sem passar por aqui, somente hoje vi o seu post do "Dia do Blog", e verifiquei que o meu mosaicos foi um dos indicados (VOCÊ É MUITO FOFA!). Mas, como nada é perfeito, ainda não consertei o som do meu PC, e portanto, não consegui assistir (pelo menos ouvir), o seu vídeo...:(
    De toda forma, já passou bastante da data, e agora já nem tem sentido mais (fora a minha falta de tempo), de entrar nesse jogo.
    Mas te adianto: Comecei meu blog, por pura insistência do meu irmão, que (coitadinho), achava que eu escrevia bem...Só que!...Como sou muito tímida, até que no início do blog, consegui postar algumas coisas de minha autoria (tipo poemas), mas, com o passar do tempo, principalmente depois que começaram a entrar amigos/seguidores, me foquei só nas imagens e textos de outras pessoas. E assim ficou...:)
    Hoje em dia, já criei uma dependência com o blog, e não apenas com ele em si, mas, PRINCIPALMENTE, por poder interagir com tantas pessoas maravilhosas (você está entre elas), que existem aqui na blogosfera.

    Jesus te abençoe!

    Beijos,

    Cid@

    ResponderExcluir
  7. Primeiro queria dizer que gosto muito dos seus posts são sempre pertinentes e verdadeiros.

    Mas, sinceramente não dou ibope para coiotes. É fato que eles estão por ai, sugando nossas vidas querendo vive-las, esperando qualquer coisa para nos fazer de caça. Não dou importância. Não estou de coiote nem de vitima, pq se me invejam a pobreza é deles(as) estou ocupada demais me enriquecendo espiritualmente, me falta tempo até para ser vitima.

    Espero que cresçam em sabedoria e já que são tão observadores e falantes que os utilizem como virtude, pois a vida é aprendizado.

    Até logo querida Gisley!!!
    bjos

    ResponderExcluir
  8. Oi Gi, acho que a inveja é uma face da ambição. E tendo esta perspectiva em mente, vou responder a segunda pergunta com uma historinha breve que ouvi de um italiano, que tentava resumir a alma alemã. "Os caras gostam de sofrer, trabalham pra caramba, bebem grapa (um tipo de cachaça) não poque gostam, mas porque isto queima a garganta. Mas parece que eles beberam água, ninguém faz cara feia. É impressionante. E o momento mais feliz da vida de um alemão é quando ele consegue comprar um carro bem grande pra dirigir acima de 200km/h nas estradas".
    Meio sofrido o relato do colega italiano, mas retrata que o ponto mais alto da vida e satisfação de uma pessoa está ligado ao consumo. Se é totalmente verdade, eu ainda nao posso afirmar. Mas o que percebo facilmente é a comparação de bens maluca. Quem tem isto, quem tem aquilo. Mas não creio que seja uma característica peculiar desta terra.
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir
  9. Arrasou no texto, como sempre.
    Eu nao tenho síndrome de coiote. e nem sei se sofro, pq é como vc falou, tem gente que nao liga pra isso. rs
    Mas, aqui na Alemanha, nao vejo muito esse lance de inveja. aqui tem a cultura do understatement, sabe? Ninguém se exibe, ninguém cobiça. As exceções devem existir, só nao as encontrei ainda. Graças a Deus! ;)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito do post! Seus nomes fictícios são ótimos! rs
    Tenho DUAS amigas exatamente como a Risoflora, e posso dizer? Elas arrasam mesmo! São do tipo de pessoa que se alguém não gosta é pq tem inveja ou coisa do tipo.
    Também tenho uma amiga, que gosto demais, que é parecida com a Zilpa e inclusive não gosta de nenhuma das duas Risofloras. Olha, não é fácil, mas não me afasto dela pq tenho esperanças de que um dia ela perceba que pode brilhar sem apagar o brilho do outro.
    Não vou dizer que nunca senti inveja ou tive ciúmes de alguém. Sim, às vezes acontece e me pego pensando: pq pra fulano é tão fácil e pra mim não?
    Mas aí me dou conta da armadilha em que estou caindo, paro de olhar p/ lado e olho pra mim, penso no que posso fazer pra melhorar minha vida e a mim mesma. E nunca me permito falar mal ou não gostar de alguém por estar com inveja ou ciúmes.
    Olha, dá certo. Nunca saí por aí destilando veneno. rsrsrs
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá amiga, ai se eu contar vc não vai acreditar, eu acabei de escrever um comentário enorme e na hora de enviar apertei um botão e apagou tudo... Não creio!!! rsrs... Vou ver se consigo escrever tudo de novo.

    Então, eu estava dizendo que parece que vc vive as mesmas coisas que eu, sabe no mesmo "mundo". É muito triste mas o que vc disse é mais pura verdade, as pessoas estão mais preocupadas em ver as outras mal, do que elas ficarem bem.

    Se preocupam tanto com a vida dos outros que não conseguem cuidar de si. E estão sempre na mesma miséria emocional, Espiritual, fisica e material.

    Sabe eu tenho orado muito por esse tipo de pessoas, para que Deus tenha misericordia delas e que abra os seus olhos, pq sinceramente amiga, tenho pena. Pois são pessoas que vivem andando para trás, mas não conseguem perceber e não fazem nada para mudar.

    Que Deus venha entrar nesses corações e transformar, para que estas pessoas possam viver os principais mandamentos de Deus: AMAR A DEUS EM 1º LUGAR E AMAR O PRÓXIMO COMO ASSIM MESMO.

    Esse assunto me deu uma idéia para um post, rsrs..

    Que Deus te abençoe, bjs...

    ResponderExcluir
  12. Eu com certeza não sofro de síndrome do coiote, estou mais interessada em conquistar as metas que tenho pra minha vida. Não moro fora do BR ainda, mas inveja tem em todo lugar né?! Meu noivo mesmo, batalhou duro pra caramba pra conquistar o que tem, e tem uma pessoa que vive falando mal dele, desmerecendo seu trabalho, isso pra mim é a inveja na sua mais pura essência, porque se essa pessoa gastasse o tempo que fala mal dele pra batalhar pelo que quer, estaria em igual situação ou até melhor do que ele, ou digamos que não, mas o mais importante, estaria satisfeita e concentrada fazendo algo em prol da sua vida.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Gi, é tão comum encontrar-mos pessoas assim, no começo deste ano quando comecei em um trabalho novo eu fui muito perseguida por uma Coiote lá, mas nosso Deus é maravilhoso e me livrou desse incomodo, porque essas coisas deixam a gente muito triste né.Obrigada pela passadinha lá no blog.
    Uma ótima semana, fique na paz do Senhor.
    Beijinhos
    http://naosecompara.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi amore. Tem selinho pra vc. Ótima semana. Bjos

    ResponderExcluir
  15. bom dia gisley
    vi que seu blog e cheio de historia,
    como penso que você sabe,
    eu também sou exportada na Itália.
    essa terra linda e gentil.
    e quanto a dolce far ninte. ninguém me supera,
    nem meu marido que é italiano !!!!
    querida volte mais vezes a mi visitar,
    eu vou te seguir assim não perco suas postagens interessantes.

    bacione da Itália!!!!

    ResponderExcluir
  16. Oi Gisley!
    É incrível como esssa pessoas com síndrome de coiote deixam de viver suas vidas para viver as dos outros, não é mesmo?! Isso é coisa muito séria, é quase uma doença.
    Deus me livre de ser esse tipo de pessoa. Acho que cada qual deve se preocupar com o seu próprio umbigo, tentar fazer a sua vida andar e não ficar fuxicando a dos outros.
    Bjim!!!

    ResponderExcluir
  17. Oi Gisley
    seu blog eh muito interessante. gosto muito e visito sempre.
    morei em St Petersburg e sinto uma saudade danada da florida. depois morei no tennessee e na carolina do sul. a america ta no meu coracao.
    abraco grande e sucesso!!!!
    Kalina

    ResponderExcluir
  18. heehe nice post.

    sou uma exportada do brasil pra dubai...

    aqui a inveja mata!

    ja estou te seguindo faz tempo, coisa boa nao se perde.

    bjk e fica com Deus

    ResponderExcluir
  19. Muito bacana o texto + o pior é que é algo tao comum dentro das igrejas, na minha no Brasil era uma desputa sem fim entre quem vai solar, quem vai fazer tal papel, quem vai dar tal licao e as pessoas se melindrao de tal forma que deixa de fazer o principal trabalhar p Deus e nao em merito proprio, se nao tiver um obrigado ou um parabéns pronta a casa caiu... o povo tinha que aprender sobre "Pra que tu crescar Senhor e que diminua eu"... é dificil te falar algo sobre Cali pq n tenho igreja aqui e nem vida social, + eu sei q há algum disse me disse na empresa do meu marido por ele ter vindo de fora, ganhando o dobro do povo aqui, nao ser formando e ter tantos beneficios + a gente fingi q nao vê e tentamos nos por no lugar deles... bjos

    ResponderExcluir
  20. Gi, eu fico impressionada como isso sempre acontece. Mais cedo eu postei sobre como é a vida "fofocada" do interior. Apesar de não morar fora, não moro na cidade, né...rs Sabe como é. Aí quando venho ler os blogs que gosto, entro no seu e vejo este post. Então, eu acho que eu nunca fui coiote não, até pq eu não tenho tempo para cuidar da vida de ninguém e amo cuidar da minha :) Acho impressionante como pessoas podem fazer isso dentro da Igreja, isso por si só já é uma grande máscara, porque o que é pregado é totalmente o oposto. Ou seja, que faz isso vai lá para fazer social e não verdadeiramente para seguir os ensinamentos de Jesus. Mas, mesmo que tivesse sido em qualquer outro lugar, esta Zilpa estaria super errada. Acho mesmo que tem pessoas que são viciadas em se fazer de vítima, tentando sempre ser o centro das atenções. Só que não percebem que assim só acabam afastando as pessoas, porque ninguém aguenta conviver com alguém que sempre faça isso. Só te peço que você se proteja, claro, não a deixe te afetar, mas também que esteja sempre atenta. Olha, eu tinha uma amiga assim desde o ginásio. É claro que me afastei também, mantinha algum contato, mas não proximidade. Só que isto era tão sério para ela, que as pessoas foram se afastando, e mesmo ela tendo um marido bacana, 1 filha lindona, e 1 bebê de 6 meses super dependente dela ainda, a depressão por ela não conseguir mais o que queria foi tão grande que ela se suicidou, mesmo sendo evangélica. Então você veja a que nível pode chegar uma doença - que é a depressão. Às vezes a gente não entende, mas existe um tipo de depressão que causa este efeito na pessoa, e às vezes ela nem sabe que tem a doença. Quem sabe se ela receber um toque de alguém muito próximo e importante para ela, ela não resolva procurar ajuda e deixe de ser coiote. Um beijo!

    ResponderExcluir
  21. Oii, Gi eu sofro ataque dos tomates assassinos haha ou seja, tomo tomatada pelas costas, mas levanto e pondero, se a pessoa vale a pena eu tiro satisfacao, senao eu deixo ela ser insegura e infeliz sozinha.Na Irlanda, auto estima soh eh encontrada depois de uns bons goles de vodka, etc.. as vezes nem assim.Geralmente, eles curtem copiar o q da certo, e qdo nao consegue ai a inveja bate e comecam os joguinhos por tras e baixa a sindrome de coiote sim! Nao posso generalizar, mas pela base que eu vejo, parece que o grupo do coiote aqui nao gosta de ver estrangeiros falando ingles "perfeitamente", conseguindo empregos bons, etc. Eh triste mas existem muitas zilpas aki, mas tb ha muitas risas brilhando sempre!! bjusss

    ResponderExcluir
  22. Gi, espero que penses em escrever um livro...vc tem um grande dom, o dom da palavra!!! bjs

    ResponderExcluir
  23. Oi Gi. um dois bem grande na Anna:
    "1)Definitivamente sou vitima! Se eu te contar o que já disseram de mim, eu tendo tratado a pessoa como amiga de verdade, vc cairia pra trás! Mas aprendi a fazer que nem a Risaflora: TO NEM AI!Simplesmente me afastei e pronto!"

    To passando por uma situacao parecida com essa agora, e acho meio chato ter que ficar se defendendo ou entao tentar nao ligar pras coisas que falam de voce.

    Se as pessoas concentrassem as energias que gastam falando mal da gente, tenho certeza que a vida delas andariam pra frente..

    Enfim, tem gente que gosta de correr atras das coisas que quer, outras gostam de correr atras de quem tem as coisas que ela quer!!!

    Va entender né?

    Bj pro ce

    ResponderExcluir
  24. Muito pertinente o seu post, e cheio de histórias para nos fazer pensar!
    Mas quando falamos em inveja e ciúme, independente de usarmos outros sinônimos, eu associo muito com a condição feminina. desque que colocamos muitas mulheres juntas, começa a inveja, as intrigas, fofocas... Vi muito isso quando trabalhei em hospital, onde a maioria dos empregados são mulheres (e a minha irmã trabalha até hoje no meio e me conta horrores do que se passa por lá!), e agora é meu marido, que trabalha em escola e cujos colegas são 90% mulheres... Ele sempre chega cansado das fofoquinhas e pecuinhas, uma querendo "queimar o filme" da outra... Já entre homens, mesmo que exista sim inveja, acredito que é menos exteriorizado...
    Bjs

    ResponderExcluir
  25. oi Gi Roubei 2 frases do seu blog q gostei muito, uma sobre a inveja, e outra sobre homem de verdade,n tem problema nè? rs nany

    ResponderExcluir

Exporte pensamentos e idéias vc tb!
Aqui, elas chegam rápido e vc não paga nada :)!
Divirta-se e volte sempre :)!

Por favor, deixe e-mail e nome de contato caso não tenha blog ou conta do google.

AVISO: Caso não goste ou não se indentifique com o material aqui exposto, vc tem todo o direito de ir ao topo da página do lado direito e apertar o X.

Não espere que nenhum(a) blogueiro(a) mude o formato ou conteúdo do blog para adequar à sua comodidade/pensamento.


A autora se faz no direito de reprovar todo e qualquer conteúdo que não traga nada à acrescentar ao blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...