terça-feira, 17 de julho de 2012

O mito da grama mais verde

FONTE/SOURCE: GOOGLE
Amigos, familiares, colegas de trabalho. Entre eles existem pessoas que admiramos, que mantemos contato, que queremos bem e nos sentimos bem à cada oportunidade que os reencontramos.Embora a nossa vida não seja ruim, sempre vem à cabeça de que não seria nada mal ter a vida do fulano, do silcrano ou do beltrano.Eu mesma me lembro de certas pessoas que passaram na minha vida que eu vi sendo agraciadas com muitas oportunidades que eu adoraria ter! 

Entre elas estava estudar inglês de graça, ter um carro dado pelo pai/mãe, ter ido ao exterior assim que tivesse terminado o ensino médio, etc. Não é diferente na amizade de Dave e Mitch.Em The Change-Up[Eu queria ter a sua vida] você vai descobrir que na vida do fulaninho que você tanto admira tem pepino, desafios, desalentos e frustrações também.Descobrirá coisas sobre aquele estilo de vida que vai fazer você repensar se a tua é realmente sem graça ou difícil. 

Acho que é do ser humano sempre prensar que a grama do vizinho é sempre mais verde ou que a vida só vai ser boa quando atingirmos os objetivos A,B e C.São os chamados overachievers.Vão tão além daquilo que é esperado deles ,não reservando tempo pra degustar a vitória.Logo logo já estão subindo o nível da barra e indo atrás de outras metas.O problema com os overachivers é que nada os satisfaz.Sempre está faltando algo.Sempre tem que ter mais e melhor e isso acaba se tornando um círculo vicioso. 

Já alguns de nós estagnamos na vida.A idade avançou mais ainda conservamos comportamentos de adolescentes.Não queremos compromisso com nada, não queremos responsabilidades e quando as coisas logo dificultam, fugimos, discutimos, ficamos com raiva, agimos como criança, queremos as coisas do nosso jeito.

Não damos a devida chance[ou tempo] para aquela oportunidade,relacionamento, emprego, amizade amadurecer.Estamos tão preocupados em garantir a nossa fatia de bolo e ter mais sem ter que investir tanto que esquecemos que coisas que duram levam tempo para serem estabelecidas. Creio que muitas pessoas atualmente se encontram nesse perfil.Elas querem sacar o que não depositaram e quando isso não é dado à elas, elas desistem.Se alguém pede responsabilidade, desistem.Se alguém pede que enfrente o medo, desistem. Começam muitas coisas mas não terminam nada.Deixam tudo pelo caminho e vão atrás dos prazeres como um forma de se alienar da vida que leva.Seu compromisso mesmo é  com o hedonismo, o entretenimento, a diversão, a festa e as coisas lindas, superficiais e frívolas da vida.

Ambos casos as pessoas tem uma perspectiva distorcida da vida.No primeiro caso, quando o alvo é atingido não passa de um briquedo que será logo colocado na prateleira e esquecido.No segundo, o brinquedo acaba quebrado em pouco tempo. Há a desvalorização da vida, das oportunidades dadas, das pessoas importantes em ambas instâncias.

O único ponto negativo do filme na minha opinião foi o excesso de nudez e cenas de sexo na versão teatral.Creio que a versão unrated dada como opção no dvd deve ser mais pesada.Tirando isso, o filme é bacana, engraçado e traz lições de vida.

Que esse filme te mostre que a vida é muito curta para achar que outra vida seria melhor.Se na sua opinião a grama do outro lado parece mais verde, talvez seja hora de cuidar da sua com mais zelo.



13 comentários:

  1. Este tema é sempre actual. Obrigada pela dica, vou procurar o filme! Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi Gigi,
    Vou ficar de olho no filme. O tema é bem interessante, quem nunca se pegou desejando a vida (que achamos) que o outro tem?
    Mas você pegou na ferida: fazemos uma leitura superficial da perfeição que é a vida do outro. No final das contas, todos temos problemas, temos issues e nada é tão glorioso como aparenta.
    Há uma revista no Brasil chamada Vida Simples. A reportagem de capa de alguns meses era sobre o que os outros acham de mim.
    Fiz a pergunta a algumas amigas e elas disseram que minha vida era a dos sonhos delas: dinheiro, muitas viagens, beleza, inteligência.
    Daí eu disse a elas que essa imagem não era totalmente real: sou a little messed up, como qualquer pessoa, e tenho meus issues, minhas inseguranças. Mas as pessoas vão sempre ver o que elas querem ver... And thats it!
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir
  3. Vi seu blog hj pela primeira vez e gostei mto do que vi por aqui! Mta informação boa e conteúdo bem escrito. Parabéns!!

    Te convido a ir ao meu blog, tá rolando um SUPER SORTEIO!!! Tenho certeza que vc vai amar!

    bjoo
    http://castro-pri.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ainda nao tinha ouvido falar desse filme, pela sua descricao parece muito bom, a gente bem que deseja de vez em quando o gramado do vizinho.
    Aliás nunca me arrependi de nenhum filme que vc indicou aqui. Todos sao bons.

    bj

    ResponderExcluir
  5. Nós somos por natureza seres desejantes e sempre daremos uma olhadinha no gramado do vizinho... neste mundo de hoje repleto de valores superficiais as pessoas sofrem demais quando não podem ter o que desejam.
    Como já disse Sartre: "O inferno são os outros".
    Vou procurar esse filme e tentar baixar na net.

    ResponderExcluir
  6. Uau! Quero ver esse filme também... Adorei o post, acho que é bom por aí mesmo. Até me identifiquei em algumas partes e isso me faz parar e pensar.

    Thanks again :)

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Gostei do tema do filme e do post. Afinal essa ideia da grama do vizinho ser melhor sempre enche os nossos olhos, e temos tendencia a nao estar satisfeito com o que temos, porque queremos sempre mais e mais. Bom para, pensar e refletir sobre o que temos e sermos mais gratos por isso.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Gostei da dica e do tema do filme...pra refletir...beijo, GI!

    ResponderExcluir
  9. Gisley, adorei o post e vou procurar o filme. Concordo com voce, que faz parte do ser humano olhamos a grama do vizinho. Mas temos que controlar isso, senao foge ao controle.
    Me lembro como se fosse hj, de uma conversa que tive com meu irmao mais velho, quando eu ainda estava na adolescencia e ele me disse: "Nao devemos comparar nossa vida com a vida dos outros."

    Beijossss

    ResponderExcluir
  10. Isso é algo bem antigo e que é muito enraizado na cabeça da gente. Mas, por outro lado, graças a Deus eu já aprendi a ver como você, Gi. Nada como a ajuda de Deus pra superar tantas coisas... Eu já fui muito assim de pensar: "pq meus amigos tem isso e eu não?", "pq a família do fulano é mais legal que a minha?", "pq fulano passa as férias na Disney e eu não?" kkkkkkkkkkk... Isso é, certamente, traço de imaturidade, que é aceitável até certa idade, passada certa idade, é preciso que isso saia e entre a maturidade. E muitas vezes pode ser difícil pra alguém. Eu precisei muito da ajuda de Deus com esse tipo de pensamento porque meu caso era de abalo psicológico, por terem acontecido certos fatos familiares (coisa que você sabe como é e me entende), então vc acaba pensando "poxa, pq isso comigo, eu só vejo isso acontecendo comigo!", e nem é! Tanta gente passa por isso! Certas coisas eu aprendi a pensar diferente e aceitar coisas que não dependiam de mim, com sofrimentos, quebrando a cara, mas graças a Deus por isso, pois leva ao amadurecimento! Sei que com você foi do mesmo jeito e enquanto vivermos precisaremos sempre sermos tratados psicologicamente, melhor ainda quando deixamos Deus tomar conta, né?! Bjsss.... :***

    ResponderExcluir
  11. OI Gi! Tudo bem contigo? Que post incrível! E coincidentemente estava conversando sobre isso com minha mãe pois disse que ouvi uns comentários de umas "amigas" que não me agradaram pois a percepção delas sobre a minha vida está completamente alterada... mas vá entender... que Deus nos guie nessa empreitada de melhorar um pouquinho a cada dia aprendendo que todos temos vitórias e barreiras a serem vencidas. Beijos!

    ResponderExcluir
  12. tamb;em sou brasileira casada com americano morando nos EUA...gostei muito do seu blog...quero muito ver esse filme!!

    ResponderExcluir
  13. Confesso que sempre ficava achando que outras pessoas eram mais felizes porque tinham coisas que não tinha... carreira bem sucedida, feito viagens para lugares que gostaria de ir, com relacionamentos perfeitos... mas aí descobri que esta é apenas a parte que eu VEJO. Porque poucas pessoas, principalmente nas redes sociais, mostram o outro lado da moeda, mostram apenas o lado glamuroso de suas vidas.
    E no dia que eu parei de me comparar com outras pessoas, eu me tornei uma pessoa muito mais leve e muito mais feliz... e qual foi a minha surpresa em perceber que muitas pessoas olhavam para a minha vida e achavam que tinha uma vida totalmente glamurosa e feliz...

    ResponderExcluir

Exporte pensamentos e idéias vc tb!
Aqui, elas chegam rápido e vc não paga nada :)!
Divirta-se e volte sempre :)!

Por favor, deixe e-mail e nome de contato caso não tenha blog ou conta do google.

AVISO: Caso não goste ou não se indentifique com o material aqui exposto, vc tem todo o direito de ir ao topo da página do lado direito e apertar o X.

Não espere que nenhum(a) blogueiro(a) mude o formato ou conteúdo do blog para adequar à sua comodidade/pensamento.


A autora se faz no direito de reprovar todo e qualquer conteúdo que não traga nada à acrescentar ao blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...