sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Ajustamento de Status x Vida Normal

Hoje vai ser um daqueles posts bem "conte-nos a verdade, Gisley!". Post de desabafo, post de alerta para aqueles que ainda vão encarar esse processo e post de reflexão para os que já passaram. Não gosto de falar de coisas ruins, mas tudo na vida é experiência. 

Para quem sabe, o Ajustamento de Status é um processo muito doloroso,lento e às vezes, humilhante. Humilhante porque eles não só te permitem trabalhar, mas tb não podes estudar e nem dirigir(tirar sua carteira de motorista americana).O não poder trabalhar eu até entendo, mas privar a pessoa de se locomover é o que lasca. Por que? Porque pelo menos aonde eu moro, é necessário carro pra tudo.Carro aqui não é luxo.É vital.Vc só arranja emprego, vai pra faculdade e tem vida social se tiver carro.No Brasil, já que a maioria da população utiliza o ônibus, é mais fácil se encontrar com as pessoas,.Por causa da demanda, a espera por um ônibus no Brasil é ridiculamente mais rápida do que aqui, cuja a demanda é bem menor.

Minha vida social caiu muito, mais muito meeesmooo desde que me mudei pra cá.(EUA) O que me faz escrever esse post é pq no futuro não muito distante será possível cogitar a compra de uma casa, já que por causa da economia os preços despencaram muito. Pretendemos sair do aluguel, já que esse dinheiro a gente poderia estar pagando em algo nosso.

ABRE PARÊNTESE :

Daí que as melhores moradias[digam-se seguras] são bem dizer escondidas.Os lugares onde existem pontos de ônibus são geralmente áreas pobres da cidade, de pessoas humildes ou de condomínios de baixa renda.Lugares que não são seguros de se morar. Por causa disso, às vezes meu marido ficava muito receoso de eu ter que me locomover no ônibus, pois às vezes não parecia ser seguro[ leia-se : gente sem boa índole], já que não é um serviço utilizado por todos, só pela minoria. Muitas vezes minhas professoras do curso de inglês do centro da cidade me diziam para eu não ir pro terminal porque tinha muita gente suspeita.Eu sempre achei que nada poderia ser pior do que somos acostumados no Brasil em termos de violência, mas é sempre bom escutar os outros. 

Os ônibus, diferente do Brasil, não possuem paradas próximas por aqui. Sempre param mais em centros industriais e só passam pelas avenidas principais.Quando eu voltava do curso de inglês, eu descia perto do mercantil e tinha que vir andando sozinha por 25 minutos sem nenhum pé de gente na rua. Eu não tinha medo, pois sempre tinha carro passando, mas mesmo assim, qualquer pessoa podia me abordar no meio da calçada já que do lado direito era só mato.Minha aula terminava 11:45, mas o ônibus só passava às 12:20(isso dia de semana , final de semana os ônibus só passam de 2 em 2 hrs, às vezes até mais que isso)...aí era o "ó".Lógico que cidades grandes como Nova Iorque, L.A. e outras devem ser como no Brasil.

FECHA PARÊNTESE


Daí que não estou tão empolgada assim para comprar uma casa, porque vou viver isolada de novo.As pessoas que moram no mesmo local que eu são muito reservadas.Não se socializam.É do estacionamento pra casa e de casa pro estacionamento ou pra caixa de correio pra ver se tem alguma correspondência. Quando pegam a correspondência, se vc tiver atrás deles, ficam tudo desconfiados.Daí que agora eu espero a pessoa tirar a correspondência  e fechar a cair dela e sair, daí eu vou e pego a minha. A pessoa atrás de mim tb espera que eu pegue a minha correspondência e saia.

Meu esposo me diz que logo logo vou estar dirigindo e isso já não vai ser um problema.Eu fiquei me perguntando como iria ser para as minhas "amigas" vir me visitarem, mas o que o Mateus me disse foi: se elas fossem suas amigas elas ligariam e te visitariam aonde estamos agora. Aquilo doeu mas foi a verdade.Realmente se tivesse amigas verdadeiras, sabendo do estado em que me encontro, elas procurariam me ligar e ao menos saber como eu estou, mas nem isso acontece. Já então não posso usar algo que não tenho como base para comprar uma casa. Estou pensando em adotar 2 cachorros, porque assim fico mais entretida. 

É muito difícil você manter vínculo com as pessoas e chamá-las para sair quando você não tem como se locomover, pq aí eles tem que te buscar e te deixar em casa.E como já falei, os sul dos EUA tem um tipo de cultura que eles fazem as coisas por educação e não porque querem, mas vão ficar de sorrisinho e fingir que estão adorando estar contigo.Quando te deixam em casa dizem que amaram sair contigo mas tu nunca mais vai ouvir falar deles e vai se perguntar "onde foi que eu errei? " A verdade nua e crua é a seguinte : fizeram por convenção.Não querem dizer não, pq acham que se disserem não, eles ficam mal na fita. Então é mais uma questão de ego e reputação do que de querer investir na vida da pessoa.Fazem a coisa certa pela motivação errada, o que se torna a coisa errada no meu ponto de vista.

Até mesmo para arranjar carona para ir à igreja no domingo era um sacrifício.Como meu marido já não precisa trabalhar mais nesse dia, isso já tira um peso das minhas costas, pq já não vou mais precisar pedir.Tinha dias de eu ligar para 6-7 pessoas e ninguém não dá nenhuma ligação de volta.Aqui é assim,quando não sabem o que fazer, não fazem nada, simplesmente ignoram. Jogam a batata quente no colo dos outros.O pior não é isso, o pior é a cara de pau da pessoa dizer "olha qdo vc precisar de alguma coisa, é só ligar, mas ligue mesmo viu?", mas na hora do pega pra capar joga o corpo fora.

Eu não tenho problema nenhum em ser housewife,afinal é um tipo de trabalho sim..Ser dona-de-casa vai deixar de ser trabalho quando a pia se auto-limpar, as roupas se auto-lavarem e auto-engomarem, o banheiro se auto-limpar, a bagunça se auto-organizar e a comida ficar pronta por si só e servida com as próprias pernas, o mercantil vir bater na porta da casa com tudo que vc imaginou  e coisas desse tipo...

É uma fase pela qual estou passando e é a única coisa que posso fazer agora legalmente falando, então não adianta espernear que nada vai pra frente.Esse não é meu problema. O meu problema é a falta de vida social, pq na minha opinião não estou imersa na cultura e nem a experimentei de fato, já que fico confinada.

Por isso blogueiras que vivo pedindo os msns e os skypes de vcs. Vocês que estão casadas há pouco tempo  com americanos ou que virão aos EUA mesmo com o visto de noivado vão passar por essa fase de confinamento. Estejam preparadas...

A minha pergunta é : e depois disso tudo, existe vida após o Ajustamento de Status ou é onde a vida em si começa?O final vc escolhe, vc decide.   

Qto as brasileiras que já encararam o Ajustamento de Status: como vc superou as fases solitárias?

43 comentários:

  1. Ai Gi, ameiiiiiiiii !!!!!!!!!!

    E olha que o meu Adjustment of Status esta so comecando, conversar com voce alivia o meu confinamento e saber que eu sobreviverei depois disso e o melhor!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Como nunca passei pela experiencia de morar fora.. não posso ajudar muito,mas só posso comentar que achei uma barra complicada de se viver..
    Abraços solidários!

    ResponderExcluir
  3. Gi,
    O período que você está passando é delicado mesmo... E o isolamento vem como consequencia quase patológica de morar fora, de acreditar no amor e "largar tudo"...
    Mas uma vida social é construída devagar, levei 1 ano no Rio e 1/5 em Sampa pra ter amigos pra baladar, ir pro cinema etc. E isto virá pra você!
    Concordo que a locomoção é peça chave, e desculpe a honestidade, mas seu esposo está correto em afirmar que as amigas verdadeiras já teriam te visitado... Pra visitar a Nina, amiga que fiz na Alemanha através do Blog, foram 6 horas de viagem e 3 trocas de trem. E faria isto novamente, porque amizades verdadeiras abroad são bem difíceis de se fazer...
    Mas querida, keep your head up high, vai dar tudo certo e boas amizades entrarão na sua vida pra te deixar ainda mais feliz do que és!
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir
  4. AMIGA...estou quietinha aqui no Brasil,não pretendo viajar tão cedo,mas seu pra sentir seu drama,como sempre seus textos expressam muitas coisas que servem para qualquer circunstancia,por exemplo,a frase de seu marido,muito sábia e a maneira como foi sincera em dizer que as pessoas as vezes fazem a coisa certa pela motivação errada,isto é em qualquer lugar do mundo.Mas creio que esta fase vai passar sim,e que Deus te dará ótimos amigos e uma ótima vida social..abraços.

    ResponderExcluir
  5. Nooooossa!
    Aí é muito, mas muito mais difícil do que na Europa, hein?!
    É claro que passei por um periodo de adaptação, inclusive antes de estar dirigindo do lado errado, mas aqui transporte não é problema, não mesmo.
    Amigas tenho muitas e apesar de não morar no centro onde a maioria mora sempre que organizo algo elas vem, a maioria nem carro tem, mas se viram nos 30, eu me sinto lisonjeada, talvez vc não tenha encontrado as "amigas" certas, mas ó, isso passa, essa fase passará e vc vai olhar pra trás e ter certeza de que fez o que podia e dará valor a sua conquista tão esperada!

    Paciência!

    beijo

    ResponderExcluir
  6. Gisley, não moro nos EUA mas enfrentei esses momentos de isolamento sim... No incio, aqui na França, enquanto estavam analisando a minha situação eu tb não podia estudar nem trabalhar. Felizmente tem muito transporte aqui nas grandes cidades (pois nas pequenas sem carro é a morte!) e eu ia para todo lugar em transporte publico, visitava museus, exposições. mas passava a maior parte do tempo estudando francês em casa, até porque era inverno e o frio me desencorajava um pouco!!! Depois acabei fazendo algumas amizades, mas meu marido diz a mesma coisa que você... Eu moro em uma localidade que de uma forma tem uma reputação negativa, mas onde moro é supertranquilo, porém bem mais barato que nas localidades nobres. Mas minhas "amigas" também não vêem me visitar aqui... Mas no meu caso, prefiro morar aqui e levar a minha vida e não vou fazer sacrificios fora do meu orçamento para fazer média às amigas...
    Força! essa fase vai passar!

    ResponderExcluir
  7. Minha querida, imagino o quão sofrido deve ser pra vc. Onde moro passo por problemas semelhantes. Aqui sem carro a pessoa não vai a lugar nenhum; o povo (do sul como vc bem falou)é desse jeito que sabemos e os amigos... Ah os amigos!! Só tenho uma americana com quem converso mais pq ela é casada com um brasileiro. O resto do povo ao meu redor é brasileiro e brasileiro morando fora, bem pelo menos por aqui,é difícil de lidar. Uma confusão, uma brigalhada, um fuxico só. Enfim, a fase ruim que vc vive hoje vai passar. Vc está legal e tem chances de organizar sua vida. Quando estiver triste e pensando nos problemas, imagine os ilegais que não têm a chance de organizar a vida. O que quero dizer é que por mais difícil que seja (e eu sei que é) há sempre alguém em uma situação pior.
    Fique bem!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Gi , acho que a falta de locomoção é o principal complicador!
    também pelo fato de não trabalhar fora de casa , estou a um ano mais ou menos de licença do meu trabalho e me faz uma faltona no dia a dia ...O importante é que vc está batalhando junto com seu amor a felicidade de vocês!


    bjs

    ResponderExcluir
  9. Gisley, não sei quanto tempo vc está nos EUA, mas essa fase de isolamento acontece com todas que saem do país. Sim, os brasileiros são pessoas diferentes e sempre sentiremos falta desse calor humano, acredite essa fase vai passar, não digo que vc vai se acostumar, pois nunca nos acostumamos com isso, mas ficará mais conformada. Força! :)

    ResponderExcluir
  10. Oi Gisley,

    Eu moro no interior de São Paulo e aqui não é diferente. Até já me acostumei e faço o mesmo que eles.
    Quando cheguei aqui foi bastante duro porque também ficava sozinha e nunca tinha "alguém" disponível para conversar comigo. Minhas amigas que deixei em outro estado nunca ligaram pra mim, eu que sempre corria atrás. Acabei cansando! Palavras sábias o do teu marido, nunca tinha pensado nisso. Mas tudo tem um propósito e se ligam ou não pra mim não me importo mais.
    Força que um dia você se acostuma e com certeza irás encontrar alguém que realmente será verdadeira na amizade que tens a oferecer. E o melhor amigo que poderias ter, tu já tem: O teu marido!
    Beijão e boa sorte ai!

    ResponderExcluir
  11. sim existe vida apos o ajustamento mas ela vem em estagios linkada com a sua adaptacao.
    Esse seu problema eh bem chato mesmo, por aqui nao o tenho gracas a deus.
    Mas nessa fase de confinamento eu acabei que criei uma comunidade no orkut pra brasileiros q moravam aki na minha cidade.. e fiz mts networks e desses networks algumas amizades apareceram. Mas nao se iluda, fazer amizade no exterior eh um capitulo a parte, eh complicado.
    Forca ai!

    ResponderExcluir
  12. Oi Gi!
    Caramba...que barra, ficar sem poder dirigir é um saco mesmo,pra tudo dependemos do carro mesmo.Na epoca que estava no processo do greencard ainda deixavam dirigir, entao nao passei por isso,
    Força amiga, graças a Deus tudo é fase, e se Deus quiser essa vai passar logo.
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  13. Força, querida! Nada como um dia após o outro! Pense, seus maiores amigos estão ao seu lado: seu marido e Deus!

    ResponderExcluir
  14. a vida passa a correr que nem há tempo para s cumprimentar a vizinha do lado
    kis .=)

    ResponderExcluir
  15. Paciencia eh a chave desse problema, muie! Tudo se ajusta. Se voce ta passando por essa fase agora e isso eh so temporario, da tempo ao tempo. Vai mudar... voce vai tirar sua carteira, talvez ache um emprego legal, vai criar vinculos, achar colegas legais, sair por ai... e sua vida social vai florir. Aconteceu comigo. Tem que passar por uma fase inicial de adaptacao... a questao eh ate onde voce aguenta! Paciencia, minha flor.

    ResponderExcluir
  16. Querida... a única coisa que posso te dizer é que seja perseverante. É uma fase e vai passar... em breve você conhecerá pessoas com quem poderá ter uma relação de amizade verdadeira e terá direito a dirigir, trabalhar... é tudo apenas uma questão de tempo... aí quem sabe até poderá dar suporte emocional à mulheres que estejam passando o mesmo que vc agora. Mas no momento, concentre-se no alicerce que vc tem em casa, no apoio que o seu marido te dá e no amor que vcs vivem, que é muito mais importante que tudo isso e vale esta prova de fogo. Be happy! ;) Beeeijos

    ResponderExcluir
  17. Gi, se eu morasse ai ou vc morasse aqui eu ia te visitar sempre, pq adoro vc e olha que te conheço virtualmente...acho que logo vc vai ter amigas de verdade. Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Oi Gi,nossa e barra mesmo hein!!!Aqui no Japao eu moro em um lugar isolado tambem .Nao passa onibus nem trem, E com criança pequena carro e um artigo de primeira necessidade.vida social????amigas????no momento nao tenho pois foram todas embora na epoca da crise.E olha onde moro e um condominio so de brasileiros ,mas sao todos estranhos anti sociais impossivel de ter uma amizade saudavel.Agora no momento eu sou apenas house wife, tambem.e fico o dia inteiro em casa confinada, nao dirijo por que tenho fobia de transito,mas ja estou tratando e espero em breve superar isso e voltar a dirigir.Entao mas e isso ai mesmo fazer amizades verdadeiras no exterior nao e facil.Fiquei passada quando vi que voce tem difilculdade para consseguir carona para ir pra igreja ,aqui nessa parte os irmaos sao bem solidarios , eles que me ligam oferecendo carona .Acho otima ideia voce adotar bichinos sao otimos companheiros .Isso ai Gi, gambate (boa sorte)que tudo vai dar certo.beijo grande e bom final de semana

    ResponderExcluir
  19. Gi a minha vontade é copiar seu texto, alterar poucas coisas e colocar no meu blog, me senti vc do inicio ao fim do texto... Eu n tenho problema com carro pq nunca dirigi e gracas a Deus a empresa do Mow teve o cuidado de nos colocar em um lugar muito bom com tudo perto, de supermercado, outlet e xops, + em compensacao eu n posso andar de onibus por conta das recomendacoes por questoes de seguranca aki existe sequestro de brasilieros e as Farc p vc ter uma ideia na minha rua e quarteirao tem varios segurancas armados 24hrs por dia... Sobre adotar 2 cachorros eu recomendo adotar primeiro 1 bb dá um trabalho q vc n imagina, e lhe digo q isso é muito bom, se eu n tivesse trazido a Rhana já teria pirado meu cabecao... Aki as pessoas sao super simpaticas + eu ainda n falo espanhol fluente p manter uma relacao de amizade, minha vida vida a 5 meses se resume ao meu marido, minha cachorra e um casal amigo do Mow, ainda n vou a igreja pq n consegui entender o espanhol falado rapido deles e isso me doi bastante pq eu era muito ativa na minha igreja... Eu odei ser HouseWife, sim amiga com tds as forcas eu odeio cuidar de casa, nunca fiz isso no Brasil, sempre tive diarista, ai temos um padrao de vida 3 vezes melhor q no Brasil e eu sou Hausewife porque n posso colocar alguém em ksa por questao de seguranca pode ? pois é amiga já percebi que sempre tem alguém pior q a gente :) e só o que me resta é respirar fundo e seguir em frente, meu marido tem feito o possivel e o impossivel p isso tudo ser + facil pra mim, que vivia c a casa cheia e cheia de coisas p fazer e aki vivo meu confinamento, minha mae diz que hj eu vivo em uma prisao de luxo... sabe q sempre tive vontade de te perguntar sobre sua adaptacao e acaba deixado p lá... que bom q vc escreveu... bem segue meu skype + p piorar meu confinamento só tenho computador de noite preciso urgentemente comprar um pra mim "Charles.Almeida8"... eu n sei vc + pra mim chorar ajuda um bocado :) essa semana q minha irma foi embora depois de 50 dias comigo chorei tanto q vc nem imagina + já estou renovada e pronta p encarar a minha Cali com um sorriso no rosto e a certeza de que a oportunidade q meu marido tá tendo é única e eu preciso fazer o minimo por nós...é só sobreviver... bjos fika c Deus, conte comigo sempre q precisar conversar, vamos tentar contato pelo skype, e vou orar por vc...ah concordo c a Su acho impossivel n gostarem de vc e n quererem sua amizade... besos !!!

    ResponderExcluir
  20. Olá Gi,

    Eu nem sei o que dizer pois nunca morei fora ainda.Posso imaginar que as coisas sejam difíceis mas acredito que possa melhorar a curto,médio ou longo prazo,eu tenho sempre essa esperança.

    ResponderExcluir
  21. gi, entendo perfeitamente o que vc tá passando! quando morei nos EUA, o que me salvou foram as minhas duas amigas BRASILEIRAS... a gente tava sempre junto e éramos pau-pra-toda-obra... não posso dizer que tive amigas americanas... esse povo é muito fechado e se faz algo por vc é por pura politica de boa vizinhança, como vc disse... continue tendo fé em Deus... quem sabe as coisas não mudam morando em um novo bairro? talvez a compra de uma casa venha a calhar... e acho lindo ser dona de casa... não se ache uma pessoa menor por causa disso.. é um trabalho muito digno! bjos flor e fica bem !
    Ich, Hausfrau
    www.ich-hausfrau.com.br

    ResponderExcluir
  22. oi Gi, fiquei imaginando que não deve ser estar sendo fácil... pois morei em NY e achei o transporte muito mais facil que no Brasil, devido a metro e bus. Mas e esse lance da carona, de ser amigo, será preconceito pela cultura? Pois já ouvi estrangeiros reclamando disso aqui no Brasil. Que brasileiro sempre se diz super amigo, pronto pra tudo mas quando eles ligavam (estrangeiros)... náo estavam nem ai.
    Boa sorte Gi!!! E conte sempre comigo, eu adoraria ir pra denovo!!!

    ResponderExcluir
  23. Oi Gi! Tenho lido muito seu blog nos últimos dias e tô amando todas as dicas e detalhes. Tô começando meu processo de K1 aqui no Brasil (já estamos esperando notícias do USCIS há 2 meses) e sei que vou sofrer muito durante esse período de "isolamento" do AOS. Sou uma pessoa super comunicativa e por ser ainda de uma cidade do nordeste onde as tradições e a família são tão importantes, eu nem imagino ter vizinhos e não me socializar com eles, ou passar um dia sem falar com minhas amigas, essas coisas... Minha previsão de chegada aos EUA é pra julho/agosto desse ano e talvez eu e meu noivo iremos morar na FL também, já que a família dele toda é de Orlando e ele acha mais confortável ficar perto da família... Por enquanto ele é marine e tá morando em San Diego. Vou ficar vindo no teu blog sempre, pode ter certeza, pois vou querer me preparar pras grandes mudanças que vou enfrentar nos próximos meses! Se quiser me adicionar no MSN, o endereço é annakarolinecarneiro@hotmail.com Beijão e Deus te abençoe! :***

    ResponderExcluir
  24. Oi Gisley,
    muita calma nesta hora. Eu moro na Alemanha ha 1 ano e meio com minha filha. Tenho meu emprego, que amo, minha rotina louca mas ainda me sinto num ajustamento de status. Me sinto isolada, sem amigas e ainda não gosto do local. Mas to tentando manter a calma e não me cobrar muito.
    Vai dar tudo certo. Uma vez, ouvi um amigo dizer q a definição de paciencia é: a ciencia da paz.
    Então mt paz pra vc

    ResponderExcluir
  25. O sistema escandinavo é beeeeeeeeem diferente do sistema americano.
    Eu tenho certeza que as coisas irão melhorar depois que vc estiver totalmente regular nos USA. Fé em Deus Gisley, vai dar tudo certo e vc com certeza vai comecar a ter uma vida social maravilhosa!!!!

    ResponderExcluir
  26. Oi Gi!!!
    ta bonito o blog!
    Ai menina nao sei como é isso de ajustamento, nem nunca ouvi falar..mas sei o que é ficar sem amigos por perto, de uma forma bem diferente acabamos por passar pelo mesmo.
    Nessa a internet e o blog ajudam bastante neh..
    Mas me diga vc nao pode trabalhar? pq? desculpa a ignorancia..
    Bjinhos
    Bom final de semana..

    ResponderExcluir
  27. Poxa, pensei que nos EUA as coisas fossem bem mais tranquilo do que na Europa. Nao pensei que fosse toda essa dificuldade. Quando cheguei na Italia tive problemas em arrumar emprego justamente porque nao tinha carro e aqui ter carro tambem nao è luxo, mas sim necessario. Aqui na cidade de Ancona o transporte publico funciona , mas quando morava em Parma era um horror, as 19 horas nao tinha mais onibus e e eu varias vezes tinha que gastar absurdos com o taxi so pra fazer 6 km.
    Nao sabia que o povo americano era assim desconfiado, viu so como os filmes americanos nos enganam?? A proposito de filmes, mas aquele lance que quando alguem è novo em um bairro a vizinhaça vai dar as boas vindas com "presentinhos" ou aquilo è so coisa de filme mesmo? Sei muito pouco sobre os americanos.
    Espero que essa fase passe logo, te desejo o melhor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Ai, Gi, como deve claustrofóbico pra vc. Senti daqui a sua ansiedade. Mas, tb sei que vc está sendo paciente e fazendo tudo certo. Acho sim, que a vida começará pra valer depois do ajustamento. Senti isso depois de ter meu visto. Parecia que eu tinha o "direito e o dever" de viver agora. Só que o meu processo foi muito mais simples. Boa sorte por aí.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  29. Oi Gisley!
    Sei exatamente o que você está passando, estou nos EUA há 4 anos, sendo que 2 anos morando no mesmo condomínio com o meu marido e eu não conheço absolutamente ninguém! Aquela coisa que me liga para fazermos algo não é algo só do Sul, acontece aqui na Califórnia também...
    Gostaria de manter contato contigo, manda email pra mim, acho que seria legal trocarmos experiências, adoraria conversar contigo.
    Tenho orado a Deus para colocar as pessoas certas no meu caminho e parei de me preocupar em fazer amigos, sei que eles chegarão um dia. Que Ele dê muita força para você!
    Meu email é exaupair@gmail.com.
    Bom final de semana e aguardo contato!

    ResponderExcluir
  30. Querida Gisley, não conheço esse processo de Ajustamento de Status. Aqui no Japão, nunca me interessei em nada disso, pois sempre quis voltar para o Brasil, mas não conseguia. Não basta só comprar a passagem e ir embora.

    Enfim, li tudo e senti sua agonia em querer ter uma vida social, mas não poder fazer muita coisa. Os americanos são assim mesmo como você escreveu? Fazem as coisas por educação e não com o coração?? Que diferença da gente hein amiga....

    Aqui no Japão o sistema de transporte é eficaz e ninguém pode dizer que não sai de casa por isolamento. A não ser que a pessoa não queira se dar ao trabalho de andar alguns metros até o ponto. Aqui a segurança tb é muito boa, mas temos que ficar alertas com alguns tarados japas!! rsrs

    Olha só, vou te passar o skype (é do meu marido, mas também uso): shiromajp618

    Seria um prazer conversar com vc via skype!
    Atualmente estamos no meio da bagunça com a mudança, mas anote o skype que um dia poderemos nos ver sim tá???

    Fique tranquila que isso é só uma fase!!

    Um beijo Gi!

    ResponderExcluir
  31. Tô bem nessa aí! Quando morava na Irlanda, solteira, fogueteira, chegava o fim de semana era só festa. E o celular pipocava todos os dias da semana. Bem pop.
    Foi só mudar pra Alemanha com o Herr que eu conto as horas pra chegar segunda que pelo menos tem movimento de pessoas no bairro. Domingo comércio fecha.
    Aqui não tenho amiiiigas. Tenho as colegas, de diferentes 'panelinhas'. De nos encontrarmos assim 2 vezes por mês.

    Transporte público na Alemanha nem vale a pena comentar, é um harrazo.
    Mas vem cá, eu não captei o motivo de vc nao poder dirigir. Não pode, legalmente? Cumassim? Não é verdade que até os ilegal foreigns compram carro e td mais? *muito caloura de informação americana eu rs*

    Bjim e força na peruca!

    ResponderExcluir
  32. eu ADOREI esse teu blog, li o seu profile e me imaginei nele. Desde os 14 anos também tenho um sonho de ir embora do BR mas até agora nada hehehe espero que um dia Deus me exporte também! :)
    bjão

    ResponderExcluir
  33. Giiiii!!! Te entendo perfeitamente. O meu processo foi diferente do seu, como falei antes, eu jah estava nos EUA ha 2 anos antes de morar com Bryan entao eu jah tinha carteira de motorista (por conta do visto de Au Pair). Entao isso facilitou muito. Mas entendo sim sua questao pois conheco meninas que passaram por situacoes parecidas. Tudo eh questao de tempo. Quando tudo sair, voce podera ter sua carteira de motorista, podera estudar, e quando voce comecar a fazer tudo isso, ira aos poucos conhecendo gente ao seu redor. Pode ser que demore pra voce fazer amizades verdadeiras. Quando era Au pair era facil pois tinhamos nossas reunioes e uma lista de au pairs na regiao, entao nos "clicavamos", passavamos pela mesma situacao entao era mais facil. Mas quando fui morar em Tucson, foi dificil fazer amizades. Mesmo trabalhando, nao tinha amizades fortes. Era soh no servico mesmo mas nao tinha essa coisas de marcar pra sair, encontrar e tal. Depois escola, aih eu comecei a encontrar mais gente. Aos pouquinhos voce consegue. Eh que nao eh todo mundo aqui que clica com a gente. Eu levei uns 3 anos morando em Tucson pra fazer amizades. Reclamava tanto de nao conhecer ninguem... mas depois que consegui, eu tinha tantos amigos que nao tinha mais tempo pra eles pois eram amigos de situacoes diferentes. Uma era amiga da escola. Outra era brasileira estudante, outra casada, outra que era amiga do meu marido, e como sao muitas gente de partes diferentes era dificil encontrar com todos ao mesmo tempo, eram pessoas que nao eram amigas entre si, entao era dificil manejar. Mas conseguia, e hoje sinto a maior falta de todos. De poder ir tomar um cafe e bater papo... sabe, coisas simples da vida mas que fazem um bem tao grande pra nossa sanidade!

    Nao se preocupe que aos poucos voce farah amizades. Ah, o blog foi um dos principais meios (e orkut tb) pelos quais eu fiz amigas verdadeiras, algumas que conheci pessoalmente e sou amiga ateh hoje e outras que nunca vi, mas somo amigas mesmo de ligar, bater papo, por anos!!! Estou longe, mas to aqui viu!!!!

    Beijo Grande!

    ResponderExcluir
  34. Nossa Gy, nunca imaginei essa parte do ajustamento de status, tipo sabia que isso ocorria, das coisas que não se podia fazer, mas não imaginei que gerasse tantos transtornos e esse confinamento, que deve ser o pior. Me conta, quanto tempo ainda leva pra vc poder dirigir e tudo mais? Depende do que? Espero que esse "recolhimento compulsório" passe logo!!!

    Gy, vc me perguntou como eram os uruguaios: bom, fui há uns 6-7 anos atrás pra Punta del Leste e os achei muito solícitos e simpáticos, porém só tive contato mesmo com pessoas acostumadas com trato a turistas (hotel, restaurante, cassino, lojas, feirinhas, etc). Em Rivera já foi diferente, li num blog antes de ir que lá eles são antipáticos e não se importam com o turista; que te entendem mais, mas se fazem de bobos. Que se eu fosse em alta temporada, certamente não teria um atendimento mais atento nem pedindo pelamor! Mas se eu fosse em baixa temporada, talvez alguém me abordasse se oferendo pra poder cumprir suas cotas de vendas, mesmo assim sem atender de forma muito diferenciada. Batata! Eles atendiam mas não estavam a fim de ajudar, de entender vc. Aliás, em uma loja lembrei do que vc contou sobre ser atendido e depois o cara falar com o outro em outra língua: pedi uma mala e amoça me indicou o local, depois se virou pra uma outra e tirou a maior onda ali na minha frente, não entendi pq falaram muito rapido, mas ouvi várias vezes "mala" (imagino q seja pq mala é estar mal, doente... mesmo assim não foi "gostoso" de ver.). É, não dá pra generalizar, muda de região pra região, deve ter gente muito legal e como em todo lugar os chatos, hehehe. Fico por aqui pq esse coment virou um post. Bjocas!!

    ResponderExcluir
  35. Oii, Gi!! happy valentine's day. passei por aki procurando por algum post apaixonado, e ai o q vc vai fazer de bom pra comemorar? eu vou estudar (bookworm hahaha). Entao essa fase eh a mais complicada mesmo, minha cidade eh sossegada e da pra andar pra tudo qto eh lado, soh que depois de setembro qdo eu comecar meu mestrado definitivamente dai eu nao vou ter escolha vou ter que tirar a bendita da carta. Mas Fe em Deus, que tudo da certo! E sim da uma raiva do povo q ignora sim, mas Deus e maior! bjuss boa semana

    ResponderExcluir
  36. Oi Gi nunca passei por esta experiencia mas imagino o que tu deve estar passando, a unica forma de vc não sofrer tanto é tendo paciencia, nada na vida dura para sempre é só uma fase que deve ser superada e esta caminhando pra isso.

    Quanto aos cães acho que sim vc deve adotar pois não existe amizade mais sincera do que a deles vc pode sair de casa por 10 minutos quando vc volta eles fazem uma festa como se vc estivesse fora a dias, eu sei do que to falando eu tenho 13 e amo eles.

    Passarei aqui mais vezes adorei seu blog.

    Bjos

    ResponderExcluir
  37. Oi Gisley, eu nem conhecia essa expressão "ajustamento de status", mas deu p\ ter uma ideia pelo q vc falou...
    É mto bom ler posts como esses p\ gente conhecer o lado difícil da coisa.. Não sei há qto tempo vc está aí, mas acredito q essa fase vai passar e as coisas vão melhorar, é uma questão de tempo.
    Tb acabei de chegar a um novo lugar, me sinto tão sozinha.. ainda sem amigos, sem emprego... Td para estar ao lado do meu amor, e tb crescer como pessoa. Aproveite oq tem de bom por aí e tenha paciencia e fé. Td vai se ajeitar.

    Estou torcendo! Beijos!

    ResponderExcluir
  38. Ai Gi, to vendo que não muda muito daqui não em questão de amigos... olha, depois que vc foi embora, Velyne, Ludmila e Élida casaram... eu praticamente estou sem amigas... só quem ainda me salva é a Carol que é minha amiga até debaixo d'água! hahaha... Mas é até uma vergonha dizer isso, porque na igreja eu não tenho uma amiga como ela, que nem é da igreja, mas é cristã porque crê em Cristo, of course!!! Amizade de estar lá a todo momento é difícil meeesmo... e vamos combinar que qdo a gente é solteira (ainda... :/) e a maioria das suas amigas já é casada, é meio que esquisito, não dá mais nem pra sair juntas assim, pq muito tempo já é + dedicado ao marido, enfim... tem suas desvantagens pq a amiga casada não quer uma vela solteira saindo com eles... kkkk... é osso! Mas o Mateus tem razão... vc não tem amigas verdadeiras aí pq senão elas iriam te ver pq querem, não só pra fazer bem na fita! Mas tenha calma, uma hora aparece... nem que seja uma outra BR casada com Americano... :) Bjssss.... ♥

    ResponderExcluir
  39. Passei pelas mesmas coisas, Gi...no meu caso foi em 2006, o primeiro ano de casada, totalmente sozinha em uma casa afastada da cidade, num inverno com neve, sem ajuste de status, sem dirigir, sem onibus...o caos! Por isso te digo, um dia o greencard chegou, o inverno passou, nos mudamos para um lugar onde eu podia ir a vários lugares sem precisar do carro (mas tirei a carteira e ganhei o carro) e ainda por cima ganhei o cachorro mais lindo do mundo (me desculpem os demais, hehe) no natal daquele mesmo ano. Tudo passa, Gi, a tendência é melhorar e um dia, olhando pra trás, vc vai ver como o tempo passa rápido mudando nossas vidas pra melhor - com a ajuda de Deus, claro.
    Beijos e eu te incentivo a ter um bichinho de estimação! : )

    ResponderExcluir
  40. Eu entendendo perfeitamente o que vc esta passando, mandamos os formularios pra USCIS e eu estou isolada na casa tambem...e estou ficando louca, mas com esperanca que tudo isso acabe logo...
    preciso dirigir,estudar fazer algo da minha vida..soh scrapbook nao vai dar..hahaa

    ResponderExcluir
  41. Oi estou passeando pelo seu blog lendo muito dos seus post...e este de hj me arrepiou os cabelos rsrsrs...Morei ai ( Atlanta e Boston) como au pair e nos primeiros três meses sofri demais com este isolamento... Lembro disto de ouvir frases como esta na igreja, conte comigo pro que vc precisar, e depois nao receber ajuda sem antes ter que praticamente implorar...e agora vou voltar como noiva, depois esposa e vou ter que passar por esta bendita fase de ajuste de status...ai que medo menina...

    ResponderExcluir
  42. Seu texto parece falar da cidade onde eu vivo aqui na Itàlia, e seus dramas parecem ser os meus.
    Fiquei morrendo de dò de nòs duas, à medida que eu ia lendo :((
    Conselho para brasileiro:
    Se quiserem, ou tiverem mesmo que morar fora, escolham os grandes centros urbanos. Na Itàlia Roma e Milao. Florença e Veneza também se salvam, mas também têm seus dèficits . O resto, è sò dor de cabeça e uma baita pontada de arrependimento.
    Gisley, elogiar seu blog e seus textos, acho que nem precisa, né? Vc jà deve tà careca de saber que manda muito bem.
    Mas por que é que sempre se desculpa, quando tem que falar das coisas ruins?
    Nao se justifique, escreva mesmo...mande ver sem remorso.
    Quem sabe extrair uma liçao daquilo que lê, sò tem a ganhar,porque até de um post "lamuriento" e carregado de "baixo-astral" se pode apreender alguma coisa.
    um abraço cheio de soladariedade pra vc.
    M.Yohanna (Vivendo&Escrevendo)

    ResponderExcluir
  43. Ai Gi...
    Leio o seu post e penso no meu futuro.
    Medos... vários medos!
    bjs e Deus te abençoe!

    ResponderExcluir

Exporte pensamentos e idéias vc tb!
Aqui, elas chegam rápido e vc não paga nada :)!
Divirta-se e volte sempre :)!

Por favor, deixe e-mail e nome de contato caso não tenha blog ou conta do google.

AVISO: Caso não goste ou não se indentifique com o material aqui exposto, vc tem todo o direito de ir ao topo da página do lado direito e apertar o X.

Não espere que nenhum(a) blogueiro(a) mude o formato ou conteúdo do blog para adequar à sua comodidade/pensamento.


A autora se faz no direito de reprovar todo e qualquer conteúdo que não traga nada à acrescentar ao blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...