segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Se essa moda pega....

Cidade do México estuda lei que permita casamento temporário de dois anos

O contrato de dois anos seria opcional e evitaria o excesso de trabalho no setor do Judiciário que cuida de divórcios.
Manaus - Parlamentares da Cidade do México vão discutir uma mudança no Código Civil para implantar contratos de casamento que possam ser renovados a cada dois anos, caso os cônjuges queiram continuar com o relacionamento. A proposta, que deve ser discutida na Comissão de Administração, visa reduzir o número de divórcios, garantir o sustento dos filhos e agilizar o processo administrativo no caso do fim do casamento.

O contrato de dois anos seria opcional e evitaria o excesso de trabalho no setor do Judiciário que cuida de divórcios. O casal que optasse pelo contrato temporário poderia avaliar o funcionamento do casamento durante o período.

"Dois anos é o tempo mínimo que permite conhecer e avaliar como é a vida a dois. Se o casal renova [o contrato], isso vai significar que há um entendimento com seu parceiro, que as regras estão claras e que os dois cônjuges têm certeza jurídica de seus direitos e deveres", disse a deputada Lizbeth Rosas Montero, que faz campanha pela proposta, em entrevista publicada pela BBC.
Para a deputada, esta mudança no Código Civil vai favorecer as "relações mais saudáveis e harmoniosas entre casais e também ajudaria a restabelecer o tecido social e a estabilidade das famílias", que seriam poupadas do trauma e dos custos de um divórcio.

Além disso, o contrato temporário de casamento também prevê uma série de acordos que seriam firmados entre o casal antes do casamento. Nestes acordos, os cônjuges poderiam determinar, por exemplo, quanto cada um pagaria para manter os filhos ou o tempo de pagamento de uma possível pensão, em caso de separação.


Organizações conservadoras, como a União Nacional de Pais de Família, já se pronunciaram contra a proposta. "Inicialmente pensei que era uma piada de mau gosto", disse a diretora da organização, Consuelo Mendoza, à BBC. "Este tipo de iniciativa cria uma cultura do descartável em temas importantes para a sociedade. Se os pais têm problemas, primeiro precisam procurar outras soluções”, disse. "Imagine o impacto emocional que teria para um filho. A angústia de pensar, a cada dois anos, se mamãe e papai vão renovar o contrato", acrescentou.

Na Cidade do México cinco em cada dez casamentos terminam em divórcio. Desde que o chamado Divórcio Expresso entrou em vigor em 2008 na capital mexicana – uma medida que permite o fim do casamento em quatro semanas – ocorreram cerca de 60 mil divórcios na capital mexicana.

FONTE: D24am.com 

~~~~~~

E vc ? Faria uma licensa dessas?

18 comentários:

  1. nossa senhora, hein? casar já pensando que é fácil separar? credo... então não case, more junto... acho casamento uma coisa muito séria pra ser encarado dessa forma...

    minha opinião, ne... hehe

    bjinho

    ResponderExcluir
  2. Caramba cada dia que se passa a instituição do casamento é desacreditada. Não sou a favor de pessoas infelizes vivendo juntas, mas pra casar já pensando em separar também não dá né. Por que as pessoas não se comprometem em conhecer seu parceiro antes do casamento gastando um tempo juntas seja conversando ou atraves de ocasiões onde poderá observar o outro, em vez de querer fazer isso depois de casados.A impressão hoje é que tudo é muito descartável até mesmo as pessoas, e essas leis só reforçam essa atitude.
    Um pena...mas essa é minha opinião...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Cadê o "Até que a morte os separem."?
    Nesse mudin' cada vez mais material é um bom jeito de evitar futuras dores de cabeça, mas prefiro o casamento à "moda antiga". Porque não escolher direitin'? Visto que hoje podemos escolher com quem casa? Sei que podemos errar na escolha e devemos e recomeçar. Mas com prazo é tenso!!!!

    ResponderExcluir
  4. Nossa...concordo plenamente com a Claudia ai acima.
    Que tal ao invés de dedicar todo esse esforço em achar uma solução para um divorcio mais fácil, se dedicar a tentar entender o que faz uma vida a dois funcionar?
    Ou então pensar 2 vezes antes de casar!!!

    Também....minha humilde opinião..rs!!
    Beijocas!!

    ResponderExcluir
  5. Que é isso? O povo nao tem mais o que inventar né? Acho que nunca ninguém se casaria dessa forma, pois ninguém pensa em divorciar antes mesmo de estar casado, quer dizer, pelo menos eu acho que nao, mas deve ter tanta gente doida nesse mundo, que vai saber né...hahaha..

    ResponderExcluir
  6. É, se a moda pega...é cada uma, Gi!

    ResponderExcluir
  7. Isso é o cumulo da palhacada só rindo mesmo... agora amiga me explica o q quer dizer esse Manaus no inicio do texto...pq né eu sou da cidade de Manaus rsrsrs...bjs

    ResponderExcluir
  8. Olha Eu faria sim. Aqui na Holanda existe a parceria registrada, é como um casamento mas sem tanta bureocracia para separar se nao ter certo. Muitos acabam presos em casamentos infelizes só pelo fato de nao querer mexer com a trabalheira que da um divórcio. Se é pra fortalecer o relacionamento dos casais que tem afinidade, então pra mim ta tudo certo. Beijos

    ResponderExcluir
  9. ufaaa que bom nao me casei com um mexicano viu?? rss por que separar assim tao facil e tao rapido nao está nos meus planos..rss
    Eh vai entender.....
    Gi..vc viu o meme que indiquei seu nome?

    ResponderExcluir
  10. Nossa, eu acho um absurdo criar uma lei como essa. Casamento è algo serio demais, eu antes de casar decidi conviver, acho que è a melhor maneira de conhecer a pessoa que esta ao nosso lado e a partir dai pensar em colocar tudo no papel. Casamento nao è somente com aquela pessoa, e sim com toda a familia, è triste demais quando chega ao fim.

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Gi,
    O Governo mexicano está querendo aliviar a burocracia, mas não ponderou nos reflexos sociais deste tipo de casamento-renovável. Achei a idéia muito ridícula, e os argumentos da diretora da União das Familias são extremamente válidos.
    É cada coisa que a gente vê nesta sociedade moderna...
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir
  12. Eu até entendo a idéia da lei. hoje tem tanta gente se divorciando e abrindo mil processos contra o ex-conjuge que pensando friamente, do ponto de vista judiciário, a lei faz todo sentido.
    Para mim essa lei seria extremamente ansiogénica. Eu ficaria pensando no prazo de 2 anos "para ser feliz/conhecer o outro", que não funcionaria. O mais engraçado é que eles acham que 2 anos seria suficiente para conhecer alguém, mas ninguém sabe de onde esse número mágico foi retirado.
    Acho complicado casar já pensando "e se". Na verdade, eu penso e repenso tanto que na primeira vez que meu marido (na época namorado) me pediu em casamento, eu disse que não estava pronta. E não estava mesmo! Muita gente me criticou pela minha resposta, diziam que era para eu noivar, mas para mim, noivado longo não funcionaria. Acho que fiz o certo (pelo menos para mim). 2 anos depois casamos e já estamos casados faz 2 anos.

    ResponderExcluir
  13. É lamentavel ver uma notícia destas, mas não é uma surpresa, tudo em nome da praticidade.
    Casamento para mim é até que a morte os separe, mas há pessoas que acreditem que é até que "a morte do amor, a morte do dinheiro, a morte da beleza, a morte do interesse" nos separe.
    Não faria, da mesma forma que não assinei pré-nuptial quando me casei, porque pra mim não importa que eu tenha um castelo antes de casar e o meu marido uma vaquinha, porque nós estamos construindo uma vida juntos e não penso depois em "dividir"as nossas coisas.
    Como sempre disse a minha mã: Não case pensando já no divórcio!
    Infelizmente o divórcio acontece e algumas vezes é a única solução para um casamento falido, mas creio que esta deveria ser a exceção e não a regra.

    ResponderExcluir
  14. Gisley eu não me assusto com mais nada!!A pessoa iniciar uma vida a dois ja pensando no prazo que isso vai acabar é o fim do fim, em dois anos nao se conheçe ninguém e creio que a adaptação de cada casal vai muito da personalidade dos dois, por aqui as pessoas vivem juntas anos, em 2 ou 3 filhos mas não se casam oficialmente, realmente não entendo!Bjks e fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
  15. Vixi! Tô fora!

    Não sei a tua opinião, Gis, mas eu achei uma grande falta de respeito com as pessoas que se casam pq querem ficar juntas, formar uma família, etc. Não aquelas que já casam pensando em separar.
    Se a vida de uma só pessoa não é fácil, imagina de um casal!? Todo mundo sabe que vida de casado não é fácil, e quando as crianças chegam as vezes os problemas aumentam, mas é aí que o povo descobre a força de trabalhar juntos pra melhorar, e manter a família unida.
    Se é pra fazer um casamneto com prazo de validade, pra quê casar, então? Pq não morar juntos por esses dois anos, sem casar e se não der certo, não deu. É melhor do que inicar uma burocracia, ainda q pequena, e fazer um casamento com validade.

    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Eu até entendo a lei, chego até a achar interessante, mas acredito que pode gerar mais burocracia, apesar de não saber como funcionam as coisas lá pelo México em matéria de justica, leis...
    Aqui na Noruega é fácil casar e se divorciar também.

    Beijo

    Luciana
    http://pensamentosdesatados.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Gi, só posso dizer q é uma pena...
    Quem casa dessa forma está olhando nos olhos do "parceiro" e dizendo: "não condôo em vc" e isso vai contra TODOS os meus princípios.

    Se cuida! :)

    ResponderExcluir
  18. Claro que sim!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Sem duvida.. faria e faria quantas vezes fosse preciso... achei otima ideia!
    Vivian

    ResponderExcluir

Exporte pensamentos e idéias vc tb!
Aqui, elas chegam rápido e vc não paga nada :)!
Divirta-se e volte sempre :)!

Por favor, deixe e-mail e nome de contato caso não tenha blog ou conta do google.

AVISO: Caso não goste ou não se indentifique com o material aqui exposto, vc tem todo o direito de ir ao topo da página do lado direito e apertar o X.

Não espere que nenhum(a) blogueiro(a) mude o formato ou conteúdo do blog para adequar à sua comodidade/pensamento.


A autora se faz no direito de reprovar todo e qualquer conteúdo que não traga nada à acrescentar ao blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...